Notificação de dengue tem redução de 55,8% no Estado de SP

Pesquisa realizada pelo curso de Medicina da Unoeste mostra os efeitos da pandemia em relação aos números de caso de dengue em 2020; redução no país foi de 63,41 % e em Jaú 48,45%

Comentar
Compartilhar
24 FEV 2021Por Da Reportagem21h20
Segundo dados do SINAN, em 2019 foram notificados 718.314 casos da doença, dos quais 400.856 foram confirmados. Já em 2020, o estado registrou uma queda de cerca de 55,8% no número de confirmações, sendo 384.815 notificações, das quais 185.849 foram confiSegundo dados do SINAN, em 2019 foram notificados 718.314 casos da doença, dos quais 400.856 foram confirmados. Já em 2020, o estado registrou uma queda de cerca de 55,8% no número de confirmações, sendo 384.815 notificações, das quais 185.849 foram confiFoto: Divulgação

Há mais de um ano que o assunto mais comentado na imprensa é o novo coronavírus. Não é para menos, afinal, trata-se de uma questão mundial e todos os esforços estão voltados ao combate da Covid-19. No entanto, nesse período, algumas doenças que estavam constantemente na mídia perderam o foco, como é o caso da dengue. Para fazer uma análise mais profunda do que aconteceu, o aluno João Lucas Contador Furtado, do 6º termo da Faculdade de Medicina de Jaú, desenvolveu a pesquisa “Os efeitos da pandemia em relação aos números de caso de dengue no estado de São Paulo e no município de Jaú”.

De fato ocorreu expressiva redução no número de casos. Porém, acredita-se que o fato está ligado à subnotificação da dengue, já que muitas pessoas deixaram de procurar o serviço de saúde com receio do novo coronavírus. Em razão da relevância do tema, o estudo foi aprovado para ser apresentado pelo estudante no 1º Congresso Brasileiro de Parasitologia Humana On-line (Conbrapah), que ocorreu na noite de terça-feira (23). João Lucas também terá seu trabalho publicado nos anais do evento.

O futuro médico conta que o motivo da escolha pelo tema foi para analisar como estava o panorama da dengue no estado e no município de Jaú, pois o que antes era um assunto muito veiculado, durante a pandemia praticamente não se ouviu falar. “Queria entender melhor para poder abordar o assunto e alertar as pessoas sobre esse perigo, pois a dengue não deixou de existir só porque as pessoas estão ficando em casa, então ela não pode ser esquecida”, alerta.

João Lucas destaca que todos os dados do seu trabalho foram levantados junto aos Boletins Epidemiológicos da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, dos anos de 2019 e 2020; Centro de Vigilância Epidemiológica; e Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). A pesquisa mostrou que em 2019 foram contabilizados 1.544.987 casos de dengue no Brasil. Já em 2020 foram 979.764 casos prováveis; ou seja, uma redução de 63,41 %.

No estado de São Paulo, o estudo também observou reduções importantes. Segundo dados do SINAN, em 2019 foram notificados 718.314 casos da doença, dos quais 400.856 foram confirmados. Já em 2020, o estado registrou uma queda de cerca de 55,8% no número de confirmações, sendo 384.815 notificações, das quais 185.849 foram confirmadas. Na cidade de Jaú, em 2020 houve redução de 48,45% em 2020 (909 casos), se comparado ao ano anterior.

“Essa redução, se de fato ocorreu, seria algo muito bom para a população, no entanto, infere-se que houve uma subnotificação desses casos, assim como também acredita o Ministério da Saúde. Tal redução não foi notificada nos bancos de dados, uma vez que a população está com medo de buscar atendimento nas unidades básicas e hospitais, temendo contrair o coronavírus. O que gera preocupação, pois as pessoas podem estar deixando de buscar atendimento, ou só procuram quando os casos já se agravaram muito”, reflete.