Meningite: risco de surto ou epidemia?

Em apenas duas semanas, a Baixada Santista tem 12 casos confirmados, com três óbitos e outro a confirmar

Comentar
Compartilhar
16 FEV 201300h09

A Baixada Santista tem 12 casos confirmados e quatro suspeitas de meningite. Desses, três pessoas morreram. O número de ocorrências num curto espaço de tempo, apenas duas semanas, já preocupa a população que corre aos laboratórios para tomar as vacinas contra o tipo mais grave da doença: a meningite bacteriana meningocócica.

Mas os departamentos de Vigilância Epidemiológica dos municípios da Baixada Santista e médicos infectologistas afirmam que não há motivo para pânico, uma vez que consideram a incidência de casos baixa, considerando o número de habitantes por cidade, descartando surtos ou epidemia.

As autoridade municipais de saúde, contudo, estão tomando as providências para prevenir surtos, distribuindo antibióticos às pessoas que convivem ou são vizinhos dos doentes.   

Na Baixada Santista, Guarujá é a cidade que apresenta o maior número de casos notificados a partir de 27 de dezembro. São seis casos e entre eles, o menino Pedro Lucas, de 6 anos, que morreu, dias depois de contrair meningite meningocócica — a mais grave. Ele morava na Favela Chaparral, na Vila Áurea, Vicente de Carvalho.

“Fizemos uma barreira sanitária com a aplicação de antibióticos nas pessoas afetadas que moravam próximas a esse menino e com os familiares dele para conter a infecção”, afirmou o secretário de Saúde de Guarujá, Benjamin Rodriguez Lopez.

A Secretaria Municipal de Saúde informou por meio da assessoria de imprensa, que existem pessoas internadas no Hospital Santo Amaro, com suspeita de meningite, mas não divulgará o número de casos até que saiam as confirmações.

Outra adolescente, Niege Porto Martins Machado, de 17 anos, que passou o Réveillon em Guarujá, morreu na sexta-feira, vítima de meningite meningocócica. Ela morava na Cidade de Elói Mendes, em Minas Gerais.

A Secretaria de Saúde de Guarujá informou que Niege não passou pelos prontos-socorros da Cidade e que apurará o caso se a Vigilância Epidemiológica de Varginha pedir investigação para saber as localidades que Niege freqüentou em Guarujá e onde estava hospedada. 

Em Santos, foram notificados dois casos. Uma criança que passa bem e Maissa Moraes Ribeiro, de 17 anos, que faleceu na terça-feira. Segundo a Secretaria de Saúde de Santos, às pessoas próximas aos doentes foram tratadas com antibióticos (distribuídos somente as secretarias de saúde) e quimioprofilaxia.

Em Praia Grande, Osvaldo Dias Costa, de 24 anos, morreu na quinta-feira, depois de contrair meningite pneumocócica, segundo divulgou a Secretaria Municipal de Saúde. Além deste caso, um homem de 33 anos está internado no Hospital Municipal, em tratamento, aguardando a confirmação do tipo da doença.

Cubatão e Peruíbe não apresentam casos até o momento. Já Mongaguá confirmou que tem uma criança de 1 ano com meningite viral. Itanhaém registra duas ocorrências: um pessoa com meningite viral e outra, com infecção bacteriana.

A Secretaria de Saúde de São Vicente informou que há três suspeitas na Cidade por infecção viral, o Tipo C —meningocócica — está descartado. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Bertioga foi procurada na sexta-feira, mas não informou os dados porque não pôde localizar o responsável pelo setor competente.