Infestação de carrapatos em cães aumenta no Verão

Carrapato transmite doenças que causam anemia e hemorragia, podendo levar o cão à morte

Comentar
Compartilhar
03 MAR 201300h32

O Verão é a época propícia à proliferação do carrapato, que é transmissor de doenças que podem levar cães à morte. O veterinário, Antonio Carlos Abude, explica que o carrapato é transmissor de protozoários que causam a Erlichiose e a Babesiose. Os sintomas dessas doenças são febre, falta de apetite, apatia e inflamações das mucosas (gengiva e conjuntiva). As enfermidades que comprometem o sangue podem evoluir para anemia profunda e hemorragia, levando o animal à óbito.

Porém, Abude afirma que as doenças têm cura se diagnosticadas e tratadas no início. “As doenças são tratáveis e um simples hemograma detecta as enfermidades. Por isso é preciso procurar imediatamente o veterinário”.

Para prevenir a infestação, o veterinário orienta que o dono mantenha controle constante do carrapato. Mas, Abude alerta que o parasita não deve ser arrancado da pele do cão. “Ao retirar o carrapato da pele, o dono pode acabar aumentando a irritação e a infecção no local, uma vez que o carrapato tem um ferrão que fica preso à pele. Para combater a infestação, existem produtos no mercado que devem ser passados no cão, matando o carrapato. Para retirar o parasita, o dono deve procurar um veterinário”.

Segundo Abude, animais acometidos pela Erlichiose ou Babesiose devem fazer exames periódicos preventivos, pois o animal está sujeito a novas ocorrências. “As rescidivas geralmente são mais graves e fica difícil tratar e salvar o animal”.

Não há vacinas para prevenir essas enfermidades e o tratamento é à base de antibióticos. O veterinário esclareceu que a Babesiose e Erlichiose não são transmissíveis de cão para cão ou do cão para o homem.