Hospital Regional de Itanhaém vai ganhar 140 leitos, anuncia governador

O investimento será de R$ 60 milhões. O hospital irá ganhar um edifício novo de oito andares.

Comentar
Compartilhar
11 NOV 201210h16

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo deu início ontem ao processo de licitação para ampliar em 153% o número de leitos do Hospital Regional de Itanhaém. As vagas passarão das atuais 91 para 231. 

O investimento nas obras será em torno de R$ 60 milhões. O hospital irá ganhar um edifício novo de oito andares, a ser construído e interligado ao antigo prédio do hospital, que também passará por reforma. 

No Vale do Ribeira vamos inaugurar no começo do ano o novo AMA e a nova Rede Lucy Montoro, que continuam atendendo a região. E aqui, lançamos o edital e começaremos a obra em 90 dias em um novo prédio de 8 andares, 13.500 metros quadrados de área construída. O hospital ficará mais moderno para atender o litoral sul”, afirmou o governador Geraldo Alckmin

Com a ampliação, o número de atendimentos do Hospital Regional, entre urgências e internações, deve passar dos 1,3 mil para 2,7 mil mensais.Além disso, a unidade passará a contar com dez novas especialidades: neurocirurgia, neurologia, cirurgia vascular, urologia, cirurgia pediátrica, cardiologia, endocrinologia, nutrologia, nefrologia e pneumologia. 
 
“Na prática será como um hospital novo, porque o espaço físico vai ficar muito maior”, afirmou Geraldo Alckmin (Foto: Divulgação)
 
A duplicação do espaço também possibilitará a implantação de uma sala específica para o “Mãe Canguru” , projeto que visa incentivar o parto normal. “Na prática, será como um hospital novo, porque o espaço físico vai ficar muito maior e com uma estrutura muito melhor para atender os pacientes da microrregião formada por Itanhaém, Peruíbe, Mongaguá, Itariri e Pedro de Toledo”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Giovanni Guido Cerri. 

O projeto também trará inovações em sustentabilidade, com sistema de aquecimento solar, arquitetura voltada ao aproveitamento da iluminação natural com luz solar, sistema hidráulico com torneiras de baixo consumo, aproveitamento da água da chuva e sistemas de coleta seletiva de resíduos. 

Colunas

Contraponto