Hospital Bertioga capacita funcionários para o Teste do Pezinho

Com algumas gotas de sangue colhidas do calcanhar do recém-nascido, o exame busca detectar precocemente seis doenças, as quais podem causar lesões irreversíveis ao bebê

Comentar
Compartilhar
10 MAR 201515h16

Logo que nascem, os bebês passam por uma série de avaliações e exames para identificar possíveis anormalidades e prevenir doenças. A atenção nos primeiros dias de vida é muito importante para garantir o desenvolvimento de uma criança saudável. Por isso, os funcionários do Hospital Bertioga participaram de um treinamento, no final de fevereiro, sobre o Teste do Pezinho.

“A triagem neonatal é extremamente importante para investigar a existência de alguma enfermidade e, em virtude disto, é primordial que toda a equipe esteja atualizada com os procedimentos”, frisa o enfermeiro Roney Nogueira, consultor do Instituto Corpore – Organização Social de Saúde (OSS) contratada pela Prefeitura, para administrar  o Hospital Bertioga.

Além do curso que tratou do Teste do Pezinho, os colaboradores do hospital também estão passando por outros cursos de aperfeiçoamento nas áreas de segurança do trabalho, serviço social e controle de infecção hospitalar, todos eles organizados em conjunto  Secretaria Municipal de Saúde e Instituto Corpore.

Realizado no Instituto Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Bertioga (Instituto Campb), o curso foi organizado pela enfermeira Marcia Santos Silva, do setor de Educação Continuada do Hospital e ministrado pelo enfermeiro Thiago Santos Rosário, da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de São Paulo (Apae-SP).

A coleta deve ser efetuada na primeira semana de vida do recém-nascido (Foto: Divulgação)

Para o secretário de Saúde de Bertioga, Manoel Prieto Alvarez, a capacitação constante das equipes é fundamental para uma assistência à Saúde de qualidade.

“Contamos com a comunidade para nos ajudar neste caminhar. É muito importante que os pais busquem o resultado do teste e levem-no ao médico responsável, pois se houver qualquer alteração no mesmo, será preciso realizar exames para confirmar a doença. É importante saber que a maior parte das doenças triadas pelo teste do pezinho são assintomáticas no período neonatal e podem gerar problemas ao desenvolvimento da criança”, adverte o secretário.
Teste do Pezinho

Com algumas gotas de sangue colhidas do calcanhar do recém-nascido, o exame busca detectar precocemente seis doenças, as quais podem causar lesões irreversíveis ao bebê.  A maioria delas pode ser tratada com sucesso, se diagnosticada precocemente. A coleta deve ser efetuada na primeira semana de vida do recém-nascido, após 48h de vida, sendo o ideal no terceiro ao quinto dia de vida.

Doenças identificadas

Fenilcetonúria: Doença transmitida de pais para os filhos que pode acarretar em retardo mental. É caracterizada pela incapacidade de processar adequadamente a enzima fenilalanina.

Hipotireoidismo Congênito: Doença que faz com que a glândula tireoide não seja capaz de produzir quantidade adequada de hormônios tireoidianos, o que deixa os processos metabólicos mais lentos. Uma das principais consequências é a retardação mental.

Anemia Falciforme: Doença transmitida de pais para os filhos, que pode se manifestar de diferentes formas. Os principais sintomas são: crises de dor, icterícia (cor amarela nos olhos e pele), infecções, feridas nas pernas e crescimento do baço.

Fibrose Cística: Funcionamento anormal das glândulas que produzem muco, suor, saliva, lágrima e suco digestivo. É uma doença decorrente do aumento da quantidade de secreções deixando-as mais espessas, o que provocam alterações respiratórias e no sistema digestório.

Hiperplasia Adrenal Congênita: A pessoa com HAC não produz corretamente as enzimas necessárias ao funcionamento das glândulas, fazendo com que estas, por sua vez, produzam em menor quantidade os hormônios cortisol e aldosterona e em excesso os androgênicos (hormônios masculinos).

Deficiência da Biotinidase: É a falta da vitamina biotina no organismo, que pode resultar em convulsões, fraqueza muscular, queda de cabelo, surgimento de espinhas, acidez do sangue e baixa imunidade.