Guarujá: profissionais de Saúde começam a ser vacinados hoje

Funcionários da linha de frente no combate à pandemia do novo coronavírus serão os primeiros a serem vacinados

Comentar
Compartilhar
21 JAN 2021Por Da Reportagem08h15
A vacina da Covid-19 começa a ser aplicada nesta quinta em GuarujáFoto: DIVULGAÇÃO/PMG

Guarujá inicia nesta quinta-feira (21) o Plano Operativo de Vacinação dos profissionais de saúde. A cidade recebeu 4,6 mil doses da vacina para imunizar apenas os profissionais que atuam nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais, que são linha de frente no combate à pandemia. Os demais grupos prioritários serão atendidos gradualmente, conforme o envio das vacinas à Cidade.

O número enviado foi inferior ao solicitado pela Cidade para atender a demanda do público-alvo inicialmente definido pelo Governo do Estado.

“Como temos poucas doses no momento, não há condições de realizar uma distribuição em massa para todos os postos de vacinação. A ideia é que tenhamos alguns locais fixos para que nossos profissionais sejam imunizados de forma escalonada e ordeira”, destaca o secretário de Saúde.

O secretário explica ainda que na medida em que os novos lotes forem chegando ao Município, serão verificados os quantitativos e haverá a ampliação do público-alvo, respeitando o grupo prioritário, que inclui os profissionais de saúde, indígenas e quilombolas.

Para garantir a segurança nos postos centralizados para vacinação dos profissionais de saúde, a Prefeitura conta com agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) e apoio da Polícia Militar.

Guarujá solicitou ao Governo do Estado um quantitativo de 80 mil vacinas, que seriam suficientes para imunizar as 40 mil pessoas que fazem parte do grupo prioritário (trabalhadores da saúde e idosos a partir de 60 anos) em duas doses. Contudo, o Município recebeu apenas 5% daquilo que houvera pedido para cumprir o calendário vacinal.

Como o governo estadual abriu mão de seu plano de vacinação e aderiu ao Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, o Município passará a depender a partir de agora da destinação de mais doses por parte do Governo Federal.