X
Saúde

Governo de SP diz que contaminação nas escolas caiu 70% e abre dados na internet

O governo de São Paulo colocou no ar nesta sexta-feira (22) os dados sobre contaminação por Covid-19 em escolas públicas e particulares do estado

Governo de SP diz que contaminação nas escolas caiu 70% / Divulgação/ Prefeitura da Praia Grande

O governo de São Paulo colocou no ar nesta sexta-feira (22) os dados sobre contaminação por Covid-19 de alunos, professores e funcionários de escolas públicas e particulares do estado.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

De acordo com o monitoramento, houve uma queda de 73,6% no número de contaminados na comparação entre junho, quando houve a maior notificação de casos deste ano (1.635), e setembro, que apresenta o menor número de registros (431).

A divulgação se dá na semana em que o governo de João Doria (PSDB) determinou a volta presencial obrigatória dos alunos às escolas, com exceção daqueles que tenham justificativa médica.

As informações sobre o número de contaminados poderão ser consultadas online no Painel Simed (Sistema de Informação e Monitoramento da Educação para Covid-19), elaborado pela Secretaria da Educação do Estado. As consultas podem ser feitas por rede (municipal, estadual ou privada), por diretoria de ensino, por município, pelo vínculo (aluno, servidor e trabalhadores terceirizados) ou por faixa etária.

De acordo com o órgão, essa é a primeira vez que um painel vai mostrar o cruzamento das notificações de casos prováveis feitas nas escolas com os dados disponibilizados pelos sistemas do do Ministério daSaúde –o e-SUS Notifica e o Sivep-Gripe (Sistema de Vigilância Epidemiológica - Gripe), que tem os registros de contaminação feitos por ambulatórios, hospitais, laboratórios e farmácias.

O Painel Simed terá atualização diária e entra no ar com os dados de contaminação desde 3 de janeiro de 2021. Ao longo dessas 42 semanas, houve 8.854 casos confirmados.

A gestão Doria vinha sendo acusada, especialmente por professores, de falta de transparência sobre a contaminação nas escolas. Dados foram negados, mesmo com requisições feitas com base na Lei de Acesso à Informação. Nas ocasiões em que números oficiais foram divulgados, a Apeoesp, sindicato dos professores liderado pela deputada Professora Bebel (PT), os considerou subestimados.

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, afirmou à reportagem que a demora na divulgação se deu em razão da necessidade de se cruzar notificações suspeitas das escolas com dados confirmados dos sistemas de saúde. "Estávamos em processo de cruzamento de dados com a Saúde e, nas últimas semanas, as bases do Sivep-Gripe e do e-SUS Notifica estavam com forte instabilidade", afirmou ele.

De acordo com Rossieli, o Painel Simed reforça que o momento é favorável ao retorno obrigatório dos alunos. Além da queda de mais de 70% de junho para setembro, ele aponta que houve um decréscimo de quase 50% entre o número de contaminados em agosto (862 casos) com relação à soma de setembro e das duas primeiras semanas de outubro (459 casos). A partir de 1º de novembro, não será mais necessário o distanciamento de um metro entre alunos, e o rodízio deverá ser encerrado.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Professor usa plataforma pornô para dar aulas de matemática

O taiwanês trabalhava há tempos no mercado de cursinhos, um ramo milionário em uma região marcada pela competitividade no ambiente educacional

Cotidiano

Semana terá clima maluco, por isso, leve guarda-chuva, protetor solar, casaco, para-raio e um bote

Clima indeciso marcará últimos dias de novembro

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software