Ensino lúdico na hora de praticar esportes é alternativa para crianças

A prática de modalidades esportivas diferenciadas influi diretamente na saúde dos pequenos

Comentar
Compartilhar
07 NOV 2017Por Da Reportagem17h14
A prática de exercícios físicos moderados pelas crianças pode diminuir a agressividadeFoto: Divulgação

Não é de hoje que a prática de esportes pelas crianças está associada a uma melhor qualidade de vida e inúmeros benefícios. A prática de modalidades esportivas diferenciadas influi diretamente na saúde dos pequenos. Além de ser uma prevenção a mais contra o diabetes, obesidade e problemas no coração, a realização de atividades físicas influencia diretamente nos músculos, órgãos, ossos e na mente dos baixinhos.

A prática de exercícios físicos moderados pelas crianças pode diminuir a agressividade e melhorar no sono, por exemplo. Também ajuda a prevenir distúrbios da mente, como ansiedade e depressão infantil juntamente com o desenvolvimento de habilidades como a coordenação motora e a sociabilidade.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a frequência de atividades aeróbicas deve ser de no mínimo 1 hora e deve agradar àqueles que praticam. Portanto, uma nova opção para a realização de exercícios físicos está surgindo no mercado: são as modalidades que misturam o ensino lúdico aos treinos. Além de promover a sociabilização entre as crianças elas também ajudam na saúde e até na educação.

O crossfit kids é conhecido por ser um programa de condicionamento físico e pode ser praticado em academias especializadas. Segundo o treinador e um dos pioneiros no Brasil, Murilo Silva, a modalidade é uma variação adaptada para a metodologia infantil, onde os pequenos só têm a ganhar.

“O crossfit kids tem todos os benefícios de uma atividade física, além de um melhor condicionamento físico e o estímulo da parte socioeducativa, com o trabalho em equipe necessário para a prática”.

Em sua aplicação nos ‘boxes’ especializados, os pequenos praticam os exercícios, que são inseridos nos treinos de maneira lúdica. “Tentamos trazer para o presente coisas que a gente fazia no passado, como subir em árvore. Hoje isso não é possível, mas dentro de um box, eles sobem na corda e experimentam essa sensação”.

Já para quem procura uma oportunidade de unir a brincadeira, com exercício físico e o aprendizado de uma segunda língua, um projeto pioneiro na Baixada Santista pode ser a opção. Também com embasamento lúdico, as aulas funcionam como uma ferramenta de introdução ao inglês.

O projeto, que surgiu na Inglaterra há 15 anos por conta da obesidade infantil, já está espalhado por todo o Brasil, tornando o País no quarto grande centro de ensino.

Segundo o consultor, Alexandre Luiz, o idioma é inserido de forma incidental, ‘onde as crianças aprendem o inglês se divertindo dentro de uma temática totalmente lúdica’. Ele explica que são criados cenários que mechem com a imaginação dos baixinhos, tornando o aprendizado divertido.

“Em uma hora, as crianças estão dentro de uma floresta, onde os tipos de animais e as árvores estão inseridos juntamente com o futebol e o inglês”. O objetivo final é levar as crianças para a prática de atividade física e aprender um segundo de maneira leve.

Esporte para todos

O crossfit kids pode ser praticado por crianças a partir dos três anos de idade. Murilo explica que os treinos são adaptados para cada grupo, seguindo os princípios da modalidade, onde ‘cada categoria tem um objetivo e uma característica diferente’ para que sejam trabalhados benefícios como respiração e coordenação motora, por exemplo.   

No Brasil, somente 33 profissionais são aptos a aplicarem esse tipo de modalidade, portanto, é necessária atenção ao procurar um box especializado de crossfit aos pequenos.  

Além disso, Santos é uma cidade pioneira, onde a modalidade foi incluída como atividade extracurricular em um colégio.
Já o projeto Little Kickers pode ser praticado por crianças de uma ano e meio aos sete, onde elas são inseridas ‘a todo momento em um momento da imaginação’, segundo Alexandre.

As aulas possuem dois coaches (técnicos), onde um é focado para a parte física da atividade e o segundo para o ensino do inglês. Entre os benefícios da modalidade, Alexandre destaca a disciplina, o respeito e o preparo físico adquirido para longo prazo. “De um ano e meio aos sete anos eles aprendem 350 palavras. Portanto, se eles forem viajar com os pais, por exemplo, a comunicação já vai ser bem mais fácil. O mesmo serve para a prática de um exercício físico no futuro”.