Em dúvida para escolher um tipo de exercício? O Pilates serve para todos

No pilates com aparelhos utilizam-se molas que, de acordo com a resistência, facilitam movimentos de pessoas com limitações físicas e dificultam a prática para alunos em nível mais avançado

Comentar
Compartilhar
16 JAN 2019Por Da Reportagem09h00
Um grande diferencial da metodologia é o trabalho dos músculos do core, que é o centro de produção de força do corpo. Outro foco muito importante da modalidade é a respiraçãoFoto: Divulgação

À primeira vista, assistir a uma aula de pilates pode parecer uma prática fácil por ser menos intensa do que outros exercícios. No lugar de halteres, caneleiras, barras ou aqueles grandes aparelhos de musculação, os praticantes utilizam aparelhos feitos de madeira com molas resistentes ou acessórios, como bola, arco flexível, elástico e disco de equilíbrio.

A percepção de facilidade termina quando a prática começa porque é uma atividade que exige muita força, controle corporal, concentração e respiração correta. Apesar de menos intenso, os benefícios do pilates são tão variados que ele pode ser praticado por pessoas de todas as idades e níveis de condicionamento, já que é adaptado e modificado de acordo com as necessidades de cada um.

“A modalidade trabalha o corpo de forma integral, com possibilidades infinitas de exercícios que resultam em fortalecimento da musculatura, principalmente da coluna, aumento da flexibilidade, melhora da postura e da mobilidade articular, aprimoramento da respiração e relaxamento. É um método que pode ser feito de uma a várias vezes na semana, de duas a três vezes é o ideal”, explica o educador físico, Thiago Arias, que há oito anos tem um estúdio de treinamento funcional individualizado e pilates, em Santos.

No pilates com aparelhos utilizam-se molas que, de acordo com a resistência, facilitam movimentos de pessoas com limitações físicas e dificultam a prática para alunos em nível mais avançado. Já o pilates solo utiliza apenas o peso do próprio corpo, o que demanda do aluno muito controle dos músculos e dos movimentos. Não existe um tipo melhor do que outro, tanto que os estúdios costumam mesclar os exercícios.

Um grande diferencial da metodologia é o trabalho dos músculos do core, que é o centro de produção de força do corpo. São 29 músculos que suportam o complexo quadril-pélvico-lombar, essenciais para estabilização e fortalecimento da coluna vertebral, que dá sustentação ao corpo.

Outro foco muito importante da modalidade é a respiração, cuja prática é indicada para facilitar os movimentos, além de trazer consciência à respiração no dia a dia. O exercício de inspirar e expirar, prática vinda da meditação e do yoga, leva a um estado de relaxamento e alívio de tensões.

Sendo indicado desde o adolescente ao idoso com todos os tipos de condicionamento, seguem os diferenciais para cada fase da vida:

Na Adolescência, as estruturas anatômicas não estão completamente formadas e, por isso, dá para modificar uma postura errada.

Já na fase adulta, a maioria das pessoas passa quase o dia inteiro sentadas trabalhando à frente do computador. Ou seja, os músculos do core, que é o centro da força, saem prejudicados. Além de ser uma ótima atividade para sair do sedentarismo.

Na Terceira idade o corpo vai perdendo funções muito importantes, como equilíbrio e coordenação. Neste caso, o pilates é uma das atividades mais recomendadas.

Colunas

Contraponto