Doria vê situação descontrolada e pode anunciar Lockdown nas próximas horas

Baixada Santista observa aumento perigoso de leitos ocupados e Governo do Estado já estuda tomar atitude mais drástica possível

Comentar
Compartilhar
17 MAR 2021Por Da Reportagem10h40
Portas do comércio devem permanecer fechadas por mais tempo do que se imaginava originalmentePortas do comércio devem permanecer fechadas por mais tempo do que se imaginava originalmenteFoto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

*Com informações de UOL e Folhapress

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (17) que tomará medidas adicionais para combater a pandemia de covid-19 em São Paulo. O Estado já está em fase emergencial, que tem até restrições para alguns serviços essenciais. Mas a situação continua "gravíssima", segundo o governador. "Tenho reunião pela manhã e vai terminar às 11 horas. E às 11h30 teremos reunião preparatória da entrevista coletiva, onde anunciaremos quais serão as medidas adicionais. Estamos diante de um quadro gravíssimo em São Paulo e no Brasil. E São Paulo adotará novas medidas, a partir da decisão do Centro de Contingência. Não temos decisões políticas", prometeu Doria.

O Centro de Contingência concluiu, em reunião do último domingo, que São Paulo poderia entrar em colapso total na quinta-feira, ficando sem leitos de UTI em todo estado. A partir de segunda-feira o estado entrou na fase emergencial, mas o primeiro índice de isolamento não foi satisfatório: apenas 43% das pessoas ficou em casa.

O ideal é que essa taxa fique, pelo menos, acima de 50%. Ontem São Paulo registrou 679 mortes em um dia, o que significa um recorde. O número de hospitalizados com covid-19 também reflete a escalada da pandemia: agora são 10,7 mil pacientes com o vírus internados em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e 14,2 mil em leitos de enfermaria — 24,9 mil no total, mais um recorde. A taxa de ocupação dos leitos de UTI em todo o estado, segundo a Secretaria de Saúde de São Paulo, está em 90%.

Na Grande São Paulo, a marca é levemente maior, de acordo com a pasta: 90,6%. Esses índices foram revelados ontem. Haverá uma nova atualização na entrevista coletiva citada por Doria, que começará 12h45.