Doria diz que Butantan deve exportar vacina da Covid-19 para países vizinhos

O governador afirmou que o Instituto Butantan vai abrir um programa de solicitações de doações para dobrar a capacidade de produção da Coronavac

Comentar
Compartilhar
22 JUL 2020Por Bruno Hoffmann - GSP15h10
Instituto Butantan, na zona oeste de São PauloFoto: Divulgação Governo do Estado de São Paulo

O governador João Doria (PSDB) afirmou nesta quarta-feira que o Instituto Butantan vai abrir um programa de solicitações de doações para dobrar a capacidade de produção da Coronavac, a vacina desenvolvida em parceria com a empresa chinesa Sinovac Biotech. Segundo ele, se houver a produção de outras vacinas no Brasil, a proposta é a de exportar o imunizante para países da América Latina.

"A sua capacidade de produção [do Instituto Butantan] é de 120 milhões de unidades da Coronavac. E por que desejamos dobrar a produção? Para o atendimento da totalidade dos brasileiros, já que a vacina será aplicada duas vezes. Nós pretendemos dobrar para 240 milhões de vacinas. Havendo uma segunda ou terceira vacina, o Butantan vai exportar para países vizinhos, para ajudar povos irmãos que fazem fronteira ou não com o Brasil", disse o governador.

Ao todo, são 9 mil voluntários de seis estados brasileiros que serão monitorados durante três meses por um corpo científico. A primeira dose da vacina foi aplicada na terça-feira (21) em uma médica do Hospital das Clínicas, na cidade de São Paulo.