Dia D contra a gripe acontece no sábado, em Santos

Ao todo, a Cidade terá 50 locais para a vacinação, que será realizada no período das 8 às 17 horas

Comentar
Compartilhar
07 MAI 201511h25

No próximo sábado (9), acontece o Dia de Mobilização Nacional da Campanha de Vacinação contra a Influenza (vírus da gripe). Todas as policlínicas do Município estarão abertas aos interessados em se vacinar, além de postos volantes. Ao todo, Santos terá 50 locais para a vacinação, que acontece das 8h às 17h.

Aproximadamente 400 pessoas trabalharão na imunização, que terá ainda 20 carros à disposição. A meta de Santos é vacinar 133.346 pessoas (80% da população dos grupos prioritários) até o final da campanha, no dia 22.

Devem ser vacinadas crianças de 6 meses a menores de 5 anos; grávidas em qualquer período da gestação; puérperas (mulheres no período até 45 dias pós parto); pessoas com 60 anos ou mais de idade; trabalhadores da saúde dos serviços públicos e privados; indígenas; pessoas portadoras de doenças crônicas; população privada de liberdade. Será também disponibilizada a vacina aos hospitais para contemplar os profissionais de saúde e pacientes internados, mediante autorização do médico.

Em 2014, o município de Santos aplicou 145.243 doses da vacina, atingindo cobertura de 112%.

A meta de Santos é imunizar 133.346 pessoas até o fim da campanha, no dia 22 (Foto: Luiz Torres/DL)

A doença

A Influenza ou gripe é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório, sendo de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais. Os vírus influenza subdividem-se em três tipos A, B e C. Os vírus A e B são responsáveis por epidemias de doenças respiratórias que ocorrem em quase todos os invernos, com duração de quatro a seis semanas e frequentemente associadas com o aumento das taxas de hospitalização e morte.

A maioria das pessoas infectadas se recupera dentro de uma a duas semanas sem a necessidade de tratamento médico. No entanto, nas crianças muito pequenas, idosos e portadores de quadros clínicos especiais, a infecção pode levar a formas clinicamente graves, tais como pneumonia. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias.

A dose da vacina, via injeção, protege contra os subtipos do vírus influenza H1N1, H3N2 e B.