Descubra como preservar a fertilidade na mulher

O congelamento de óvulos tem sido uma possibilidade viável, embora ainda seja considerado um trabalho em fase experimental

Comentar
Compartilhar
09 ABR 201412h43

Apesar dos avanços da medicina, do aumento da longevidade e da conquista feminina no mercado de trabalho, é praticamente certo que a fertilidade na mulher tem prazo de validade. Portanto, não dá para adiar a maternidade sem um planejamento prévio. “A partir dos 35 anos, os óvulos passam a envelhecer de forma mais ativa e isso pode interferir na formação do bebê que tem mais chances de apresentar deficiências cromossômicas. Depois dos 40 anos, as mulheres também enfrentam maiores riscos de aborto espontâneo”, alerta o ginecologista Joji Ueno (CRM 48.486), Doutor em medicina pela Faculdade de Medicina da USP e responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês e Diretor na Clínica Gera.

Por isso, é importante buscar alternativas eficazes para preservar a fertilidade. E, neste caso, o congelamento de óvulos tem sido uma possibilidade viável, embora ainda seja considerado um trabalho em fase experimental. O médico explica que, o sucesso do procedimento, é mais garantido se for realizado com óvulos maduros e, para que isso ocorra, é necessário que a paciente submeta-se a um processo como o da Fertilização in Vitro (FIV). “A técnica costuma apresentar 30% de resultado positivo. Os ovários são estimulados por drogas que induzem a ovulação e depois os óvulos são coletados e encaminhados para o laboratório. Chegando lá, serão desidratados e congelados”, detalha o especialista. É importante lembrar que tal procedimento exige uma manutenção anual, até que os óvulos sejam fecundados.

Tal procedimento é indicado para mulheres que pensam em adiar a gestação, afinal quanto antes o procedimento for realizado, mais chances de congelar óvulos jovens e saudáveis. Também pode ser opção para pacientes que tem de se submeter a um tratamento oncológico, ou seja, antes de iniciar as sessões de quimioterapia, podem ter os óvulos congelados e preservados. Além de ser uma alternativa para mulheres que têm em sua família o histórico de menopausa precoce. “É possível apostar no congelamento de óvulos de forma preventiva, evitando assim a frustração de não poder engravidar”, comenta Ueno.

É importante buscar alternativas eficazes para preservar a fertilidade (Foto: Divulgação)

Outra técnica que pode garantir a fertilidade feminina se dá por meio do congelamento de embriões. No entanto, esse procedimento exige regras mais rígidas, afinal os embriões são seres vivos e não podem ser descartados, por uma questão ética. “Por isso, é uma técnica indicada para casais que comprovem união estável e, em especial, se um deles for acometido por algum tipo de patologia que interfira em sua fertilidade”, explica o médico. O procedimento também apresenta resultado positivo e é bem utilizado em vários países.

Por fim, existe a possibilidade de realizar o congelamento de tecido ovariano. Mas, essa é outra proposta para mulheres com algum tipo de tumor e que não têm condições de aguardar o tempo necessário para a preparação dos ovários, que permite o congelamento de óvulos. Em casos específicos, pode ser indicada a retirada de um dos ovários ou apenas uma parte, dividindo-o em pequenos grupos para serem congelados. “É uma alternativa que implica em mais cuidados, por isso tem de ser bem avaliada, pois exige internação, anestesia geral e um tipo de intervenção minimamente invasiva”, conclui o especialista.