Deputada propõe alerta para nível de sal nos alimentos

O projeto de lei tem por objetivo proteger a saúde de hipertensos

Comentar
Compartilhar
03 FEV 201321h42

Alertar hipertensos para o risco de elevação da pressão arterial ao consumir alimentos e bebidas industrializados que contenham sódio. A proposta é da deputada estadual Maria Lucia Prandi (PT) que protocolou projeto de lei na Assembleia Legislativa.

A proposição dispõe sobre a obrigatoriedade da descrição dos níveis de sódio nas embalagens de bebidas e alimentos industrializados. Além disso, as embalagens e campanhas publicitárias deverão alertar que “o consumo traz risco de elevação da pressão arterial”.

“A hipertensão é um problema de saúde pública, que tem como uma de suas causas principais a elevada ingestão de sódio (sal). As pessoas reduzem a presença da substância na comida feita em casa, mas a consomem em níveis elevados sem nem mesmo perceber nos alimentos e bebidas industrializados”, afirmou a deputada. 

Prandi afirmou que o sódio está presente em quase 100% destes produtos, que, muitas vezes, não apresentam o gosto salgado. “Por isso a necessidade de um alerta explícito, que desperte a atenção da população”.

A pesquisa da deputada é embasada em estudos como o do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) sobre os fast foods. Há sanduíches cujos índices de sódio representam até 70% do recomendado para ser consumido diariamente por um adulto. Para combater a presença deste verdadeiro vilão nos alimentos, a Agência Brasileira de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a redução do uso do sódio em alimentos e bebidas produzidos no País.

O médico Márcio Aurélio Soares que é clínico geral, endocrinologista e nutrólogo, afirmou que o consumo desses alimentos que contém sódio só oferecem risco aos hipertensos se forem consumidos em excesso. “O risco de elevação da pressão arterial é maior quando o sal está presente na comida caseira”.

Porém, Marcio Aurelio ressaltou que doenças como hipertensão, diabetes e colesterol está acometendo pessoas cada vez mais jovens. “As causas são sedentarismo, estresse e má alimentação. Os jovens consomem muita fritura”, explicou o especialista.

Ainda de acordo com Marcio Aurélio, hipertensos jovens são mais propensos à gravidade da doença, podendo sofrer infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência cardíaca e doenças que comprometem a visão e os rins. “O jovem é mais ativo do que o velho, suas arterias são mais estreitas e se estressa mais, então o risco de sofrer um infarto fulminante, por exemplo, é maior”.

“O ideal para evitar problemas causados pela hipertensão é consumir alimentos que contenham sal moderadamente, praticar exercícios físicos e fazer uma alimentação saudável”, orientou o médico.