Dengue hemorrágica faz mais uma vítima na Baixada Santista

Juliana Bananal, de 12 anos, morava no Jóquei Clube, em São Vicente, e estava internada no Hospital Ana Costa, em Santos, desde domingo; ela morreu na segunda-feira

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201310h31

Juliana Gonzaga Bananal, de 12 anos, morreu na última segunda-feira, no Hospital Ana Costa (HAC), em Santos, vítima de dengue hemorrágica. A forma grave da doença é confirmada como causa da morte na certidão de óbito da paciente. Mas, o HAC não quis se pronunciar sobre o caso de Juliana, no início da noite de ontem.

Juliana morava no bairro do Jóquei Clube, em São Vicente, um dos mais afetados pela doença, mas até o final da tarde de ontem, a Vigilância Epidemiológica do Município não havia sido notificada sobre o caso pelo HAC.

Juliana passou mal na última terça-feira, mas foi internada no domingo, quando deu entrada no HAC com sangramento pelo nariz e vômito. O corpo de Juliana foi enterrado ontem no Cemitério Memorial de São Vicente. No velório, parentes e amigos vestiam camisetas com fotos da adolescente para alertar autoridades e a população sobre a gravidade da epidemia que faz novas vítimas todos os dias, segundo a mãe de Juliana, Ana Luiza Simões. 

Em entrevista à imprensa regional, a mãe de Juliana declarou: "as pessoas e órgãos públicos têm que se conscientizar. O hospital está cheio de crianças com dengue".

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do HAC informou, por telefone, às 18h40 de ontem, que o diretor-técnico do hospital não comentaria, nem confirmaria o caso da paciente. Juliana morreu quatro dias depois do HAC divulgar relatório apontando 63 casos de dengue hemorrágica na sede de Santos.

A assessoria de imprensa de São Vicente informou que a Vigilância Epidemiológica do Município ainda não havia sido notificada sobre o caso de Juliana. São Vicente enfrenta epidemia da doença com 713 casos confirmados e quatro óbitos (Juliana não está incluída).

Ao todo, São Vicente tem 1.066 notificações, segundo boletim atualizado até a última quarta-feira (18) e divulgado na sexta-feira passada (19). Dos quatro óbitos confirmados, entre fevereiro e março, estão uma menina de 5 anos, duas de 12 anos e um menino de 8.

Porém, de acordo com a assessoria de imprensa da Saúde de São Vicente, nenhum dos óbitos foi diagnosticado como dengue do tipo hemorrágica, mas decorrentes de complicações da doença.

Há notificações em todos os bairros da Cidade, mas as maiores incidências são nos bairros da Vila Margarida, Jóquei Clube — onde Juliana morava —, Vila Fátima e Cidade Náutica.

Atendimento

Pacientes com sintomas de dengue estão sendo atendidos em todas as 19 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), cinco unidades de Estratégia de Saúde da Família, e nas nove unidades de Estratégia de Agentes Comunitários de Saúde. Conforme a assessoria de imprensa da secretaria, todas as equipes da rede pública foram capacitadas para identificar os sintomas de dengue.

63 casos de dengue hemorrágica no HAC

Na última sexta-feira foi divulgado relatório do Hospital Ana Costa (HAC), que apontava 63 notificações de pacientes com dengue hemorrágica, em Santos. Os pacientes, segundo o relatório, contraíram a forma grave da enfermidade num período de apenas um mês e meio, segundo o documento que foi encaminhado à Secretaria de Saúde de Santos.

Na ocasião, o infectologista e diretor-técnico da Divisão de Moléstias Infecciosas e Parasitárias do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) e médico do HAC, Evaldo Stanislau Affonso de Araújo, havia informado que os diagnósticos de febre hemorrágica foram confirmados pelo Instituto de Medicina Tropical da USP.

Porém, a Secretaria de Saúde de Santos deverá remeter as notificações do HAC à Vigilância Epidemiológica do Estado para investigação e análise do Instituto Adolfo Lutz, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde. Os números só poderão ser considerados oficiais após confirmação do Instituto Adolfo Lutz, que poderá pedir novos exames para confirmar os diagnósticos.

Baixada Santista

A Baixada Santista registra oficialmente 2.664 casos de dengue e 7.472 suspeitas, com 18 óbitos. As mortes foram registradas em Santos (7), Guarujá (7) e São Vicente (4).