Com oito ambulâncias paradas, Prefeitura de Cubatão aluga mais seis

Locação emergencial de veículos, enfermeiros e motoristas custarão R$ 171 mil por mês aos cofres públicos

Comentar
Compartilhar
19 JAN 201319h23

A Secretaria de Saúde de Cubatão contará com mais seis ambulâncias a partir desta semana, disponibilizando ao todo 11 veículos que atenderão as unidades de saúde do Município. Para compensar o déficit de ambulâncias porque a maior parte da frota está parada, a Prefeitura contratou empresa que fornecerá temporariamente seis ambulâncias equipadas, além de motoristas e enfermeiros.

"Nós vamos fazer uma logística com estas novas ambulâncias e com as que já temos, de forma a cobrir de forma adequada as necessidades de nossas unidades de saúde, pronto-socorros e SAMU", afirma o secretário de Saúde Vandejacson Bezerra de Andrade, em nota enviada à reportagem do DL.

Segundo a nota da Secretaria de Saúde, o Município possui uma frota de 13 ambulâncias, cinco em circulação e oito estão em conserto ou manutenção. A empresa Toesa Service Ltda, que disponibilizará as seis ambulâncias equipadas com insumos médicos e de enfermagem, motoristas e técnicos de enfermagem, foi contratada com dispensa de licitação, em caráter emergencial.

O serviço atenderá 24 horas, todos os dias da semana. O edital de contratação foi publicado em jornal local, na última sexta-feira. Indagada sobre a dispensa de licitação para a contratação do serviço, a Secretaria de Saúde esclarece que “houve um certame licitatório para contratação normal, ao qual compareceram três empresas, sendo que a primeira e a segunda colocadas foram desclassificadas por não atenderem os pré-requisitos estabelecidos, e a terceira apresentou preço acima do valor de pesquisa. Está sendo adequado o edital e reaberto para a contratação normal”, diz a nota.

Ainda conforme a nota da Secretaria de Saúde, o serviço terceirizado foi contratado por R$ 171 mil mensais, “com vigência prevista até a finalização do processo licitatório de contratação normal, não superior a 180 dias”, o que num período de seis meses deverá custar aos cofres públicos R$ 1,026 milhão.

Porém, em paralelo ao serviço contratado, a secretaria informou que a frota municipal será “recuperada e possibilitará atender os bairros mais periféricos com presença mais constante”.

O DL deu em outubro

No dia 30 de outubro passado, o Diário do Litoral noticiou que ambulâncias da frota do Município estavam sucateadas e sem uso na Garagem Municipal. O caso foi comentado e criticado na sessão da Câmara Municipal daquela semana pelos vereadores Francisco Leite da Silva, o Bigode, e Geraldo Guedes, que visitaram a garagem e afirmaram ter 14 veículos parados, na ocasião.

O motivo das críticas, na ocasião, seria a reclamação de um munícipe de possível atraso de meia hora para o socorro a uma criança, em creche da Ilha Caraguatá. O número de ambulâncias paradas foi confirmado pelo vereador da situação Paulo Tito, ao DL.

Na ocasião, a Prefeitura informou à reportagem, em nota, que a compra de duas ambulâncias estava em andamento, com verba do Estado. “Além disso, outras cinco viaturas estão sendo adquiridas por processo de locação. Estas últimas, devido aos trâmites legais, deverão ser disponibilizadas à Secretaria de Saúde dentro de aproximadamente 60 dias”, dizia a nota.