Central de Libras de Santos é referência na Região

Dia Nacional do Surdo é celebrado neste domingo (26); serviço da Prefeitura é gratuito e oferecido desde 2015

Comentar
Compartilhar
24 SET 2021Por Da Reportagem19h02
Dia Nacional do Surdo é celebrado neste domingo (26)Dia Nacional do Surdo é celebrado neste domingo (26)Foto: UFU/Divulgação

Em agosto do ano passado, a fotógrafa Nathalia Filipe, 34 anos, moradora do bairro Encruzilhada, teve uma paralisia facial e, na Policlínica Conselheiro Nébias, foi encaminhada para fisioterapia na Seção de Recuperação e Fisioterapia (Serfis), da Secretaria de Saúde (SMS). Nathalia é surda e, para se comunicar e ser melhor compreendida nas unidades de saúde, acionou a Central de Libras, serviço gratuito oferecido desde 2015 pela Prefeitura de Santos a todos os usuários da Libras (Língua Brasileira de Sinais).

A iniciativa, uma conquista do Município a ser lembrada neste domingo (26), Dia Nacional do Surdo, é referência de inclusão social na Baixada Santista. "Eu acionei a Central pelo WhatsApp por chamada de vídeo para marcar meu atendimento. É muito importante ter uma intérprete para que a gente possa se comunicar", diz Nathalia, cujo caso está entre os 382 atendimentos realizados de 2020 até o momento pelo serviço, em três canais de acesso (WhatsApp, e-mail e Instagram).  

"São vários tipos de atendimentos contemplados pela Central, como psicológico, odontológico, clínico geral etc. Até para realizar exames laboratoriais os intérpretes podem estar presentes, de forma remota ou presencial, mediante agendamento prévio. Santos é a única cidade da região que possui uma Central de Libras para atendimento ao público surdo", destaca a coordenadora de Políticas para Pessoas com Deficiência (Codep) da Prefeitura, Cristiane Zamari.

Ela ressalta que os atendimentos na Central não pararam na pandemia. "O público surdo carece de informação de forma geral. Muitos não sabem a Língua Portuguesa, então não têm acesso à leitura. Os intérpretes têm a missão de fazer a interpretação mais fiel possível das informações ofertadas ao público geral e que não chegam ao surdo", acrescenta.

 

HERÓIS

Na Central, são recebidos pedidos pelo Whats e e-mail com antecedência e um intérprete vai até o local para fazer a mediação do atendimento. Quando é solicitado em cima da hora, ele é feito por chamada de vídeo. "Somos muito procurados para acompanhar atendimento médico, mas também temos grande procura por vagas de emprego. É gratificante poder realizar um trabalho tão necessário para a comunidade surda, que por muito tempo ficou sem compreender uma orientação médica ou alguma informação importante", afirma uma das intérpretes, Roseane Cristina Rosa, 42.

Seu colega de trabalho, Hudson Pereira de Lima Benegas, 26, diz que "sempre que visto meu uniforme de intérprete de Libras e vou para os atendimentos, me sinto como se fosse um tipo de herói. O sorriso das pessoas que são usuárias de Libras após o atendimento me faz sentir que meu dever foi cumprido".

 

CARTILHA

Desde o início da pandemia, a Codep produziu a cartilha virtual Covid-19 em Libras, disponível no perfil do Instagram da Central (@centraldelibrassantos) e no portal e YouTube da Prefeitura. Acessível para surdos (Libras) e pessoas com dificuldades de leitura e cegas (a?udio), nela há informações sobre formas de prevenção, contágio e sintomas da doença.

 

CANAIS DE ACESSO À CENTRAL DE LIBRAS

1. WhatsApp - (13) 99155-2377, via chamada de vídeo para atendimentos remotos, das 9h às 17h. Esse canal pode ser acessado tanto pelo munícipe surdo como pelos agentes de saúde pública.

2. E-mail - [email protected] para agendamento de consultas médicas e exames médicos e laboratoriais.

3. Instagram - @centraldelibrassantos - notícias de relevância e utilidade pública.

- Pacientes surdos desacompanhados que comparecerem nas UPAs e policlínicas de Santos e necessitarem de intérprete de Libras para sua comunicação devem entrar em contato pelo WhatsApp, das 9h às 17h.

 

PALESTRA NA UPA CENTRAL

Dentro da Semana Nacional do Surdo, nos próximos dias 29 e 30, a coordenadora da Codep, Cristiane Zamari, ministrará palestra para os profissionais da UPA Central, ocasião em que a equipe da Central de Libras simulará o atendimento remoto e presencial. As demais UPAs e policlínicas da Cidade também serão contempladas com palestras.

 

LIBRAS

Pessoas com deficiência auditiva e surdez têm a Libras oficializada como 2ª língua reconhecida no País, conforme a Lei da Libras 10.436/02. O ordenamento jurídico brasileiro vem assegurar a Libras como primeira língua ao surdo e o português como segunda língua na forma escrita, garantindo a acessibilidade comunicacional e tecnologia assistiva a todas as pessoas surdas e em espaços públicos e privados de uso coletivo.

A Convenção Internacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência da ONU (Organização das Nações Unidas) e a Lei Brasileira de Inclusão garantem todos os serviços e ocupação de espaços de forma acessível às pessoas surdas, de forma que elas devem ter acesso a informações em igualdade de condições com as demais pessoas. Segundo o censo de 2010, estima-se que 2,6 milhões de brasileiros são surdos.

 

SETEMBRO SURDO: UME PEDRO II PRODUZ VÍDEO  

Alunos, intérpretes de Libras e a professora de língua portuguesa Maria Estela, da escola municipal Pedro II (Ponta da Praia), produziram um vídeo sobre a música Broto Legal, sucesso brasileiro dos anos 60. A atividade faz parte do Setembro Surdo e teve como objetivo trabalhar as variações linguísticas de forma mais lúdica e dinâmica, por meio da dança e dos sinais.

A unidade é considerada escola polo no Município para o público surdo, juntamente com a escola Vinte e Oito de Fevereiro (bairro Saboó). Ambas contam com Salas de Recursos para Atendimento Educacional Especializado (AEE) para alunos com surdez, além da sala de aula regular. A Secretaria de Educação (Seduc) conta com 19 intérpretes de Libras, que fazem toda a mediação dos alunos surdos na rede municipal de ensino.