Casos de dengue caem 90% no primeiro trimestre em Guarujá

De janeiro a março do ano passado, foram confirmados 606 casos; no mesmo período de 2014, apenas 60 pessoas foram contaminadas

Comentar
Compartilhar
04 ABR 201416h27

A guerra contra a dengue é diária e não dá espaço para descuidos. Porém, o cidadão guarujaense pode comemorar a diminuição dos casos de dengue no Município no primeiro trimestre de 2014. Em comparação com os três primeiros meses do ano passado, houve redução de 90% do número de pessoas contaminadas.

De 606 casos, a quantia caiu para 60 em 2014. De acordo com a coordenadora de Combate à Dengue da Prefeitura, Ana Lúcia Gama Cruz, essa redução se deve à colaboração da população e ao trabalho conjunto com a Vigilância Epidemiológica. “Com o diagnóstico rápido da doença, o mapeamento da Vigilância e o trabalho rápido das equipes, não há tempo para a inseminação do vírus”, explicou.

A coordenadora ressalta que o cuidado constante da população é a melhor forma de combate à doença transmitida pelo mosquito  Aedes aegypti. “É de total importância que os munícipes criem o hábito de vistoriar suas casas semanalmente. Se cada um fizer sua parte, podemos vencer a dengue”, afirmou Ana Lúcia.

Segundo o diretor de Vigilância em Saúde da Prefeitura, Marco Antônio Chagas da Conceição, a tendência é que os casos reduzam mais nos próximos meses, visto que acabou o verão, período de maior incidência. “Analisando os casos ano a ano, vemos que o número começa a cair em abril. Por isso, estamos otimistas. Porém, a vigilância não pode parar”, alertou.

Investimentos - Durante encontro do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), dia 25 de março, a prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito, expôs a necessidade dos municípios receberem investimentos do Estado, por meio de programas ou parcerias, para atuar no controle de casos de dengue.

A chefe do Executivo guarujaense destacou a dificuldade de custeio das prefeituras. “É preciso que as cidades tenham um repasse via Saúde, para que a gente possa ampliar as equipes. Hoje, Guarujá não tem orçamento para isso. Além disso, em ação integrada, nossa Cidade tem utilizado os agentes comunitários de saúde no intuito de cobrir o que é necessário. Entendo que devemos ter programas e parcerias para esse custeio”, declarou.

Ainda na oportunidade, Antonieta solicitou também a liberação, com maior frequência na Região, do carro de fumaça, para que os trabalhos de prevenção tenham a cobertura adequada.

De 606 casos, a quantia caiu para 60 em 2014 (Foto: Divulgação)

Ações

Atualmente, a equipe de combate e prevenção à dengue de Guarujá conta com 67 agentes e cinco supervisores da Prefeitura e 11 agentes do Ministério da Saúde, além disso, conta com o apoio de 189 agentes comunitários que atuam nas Unidades de Saúde da Família realizando trabalho de prevenção em todo o Município.

A equipe de agentes atende e promove vistorias nos imóveis denunciados por meio do Disque-Dengue e Ouvidoria Geral do Município, com ações de nebulização e telagem nas caixas d’água sem tampa em imóveis residenciais, comerciais (oficinas, borracharias, estaleiros e ferros-velhos), empresas náuticas e portuárias, assim como cemitério, unidades educacionais e de saúde.

Na parte de orientação, semanalmente a equipe de Informação, Educação e Comunicação (IEC) realiza palestras, teatro de fantoche e divulgação das ações de prevenção.

Para reforçar o trabalho dos agentes de Controle de Endemias, em outubro a Prefeitura recebeu o apoio do Exército no combate ao mosquito, com participação nas atividades de rotina nos locais e bairros com maior incidência larvária. Cinco soldados receberam treinamento teórico e prático de combate à dengue.

Disque-Dengue

Os cuidados de vigilância em casa devem ser constantes. O munícipe pode denunciar supostos focos de criadouros ou pedir orientação sobre a dengue de três formas: Disque-Dengue (0800 779 8000), Controle e Combate à Dengue (3341-6569) ou pelo e-mail [email protected]