Bolsonaro demite Henrique Mandetta do cargo de Ministro da Saúde

Por meio de suas redes sociais, o agora ex-ministro publicou que ouviu sobre sua demissão do próprio presidente

Comentar
Compartilhar
16 ABR 2020Por Da Reportagem16h22
Henrique Mandetta não é mais o responsável pelo Ministério da SaúdeFoto: Reprodução / Twitter

Henrique Mandetta não é mais o Ministro da Saúde. O agora ex-chefe da pasta, foi convocado para uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro no começo da tarde desta quinta-feira (16). Horas depois, ele publicou em suas redes sociais que ouviu a determinação sobre o fim de seu comando à frente da saúde do Brasil do próprio chefe do Executivo.

Por meio de sua conta no Twitter, Mandetta afirmou que ouviu sobre o aviso de que seria demitido pelo próprio presidente Jair Bolsonaro. Ainda durante sua mensagem, ele aproveitou para agradecer a oportunidade de ter sido 'gerente do nosso SUS, de pôr de pé o projeto de melhoria da saúde dos brasileiros e de planejar o enfrentamento da pandemia do coronavírus, o grande desafio que o nosso sistema de saúde está por enfrentar.'

Atualmente, Bolsonaro avalia possíveis candidatos que possam substituir Mandetta. Segundo informações de Brasília, Nelson Teich, oncologista e empresário do setor da saúde, que já trabalhou como consultor durante a campanha eleitoral do próprio presidente, pode ser o sucessor na pasta. Assim como Henrique Mandetta, Teich também é um dos defensores do isolamento horizontal como a melhor solução para impedir que o coronavírus continue contaminando mais pessoas no País.

A demissão de Mandetta ocorre após vários desentendimentos entre ele e o presidente, que se mostrou contrário ao isolamento social, medida tomada por mais de 100 países para conter o avanço do covid-19. Mesmo sendo alvo de críticas de autoridades nacionais e internacionais, Bolsonaro manteve a decisão de trocar o comando do ministério.

Nas últimas semanas, o presidente também foi alvo de panelaços durante seus pronunciamentos na televisão, enquanto Mandetta recebia apoio de manifestantes por todo o Brasil.