GOVERNO 3

Bertioga alerta para importância do pré-natal

Além de todo atendimento gratuito na rede municipal de saúde, a Prefeitura também organiza rodas de conversa, grupos de gestantes e orientação para as mamães, como amamentação e cuidados.

Comentar
Compartilhar
28 SET 2019Por Da Reportagem08h42
Para o bebê o pré-natal pode evitar má formação, parto prematuro, desnutrição e doenças metabólicas.Foto: RENATA DE BRITO/PREFEITURA DE BERTIOGA

A Secretaria de Saúde de Bertioga está alertando as gestantes sobre a importância do acompanhamento pré-natal - período em que é possível identificar e reduzir problemas que podem atingir a saúde da mãe e do bebê.

Além de todo atendimento gratuito na rede municipal de saúde, a Prefeitura também organiza rodas de conversa, grupos de gestantes e orientação para as mamães, como amamentação e cuidados.

Em Bertioga, há cerca de 600 gestantes realizando o acompanhamento atualmente. Essa assistência às futuras mamães é fundamental para que sejam realizados cerca de 1.000 partos saudáveis anualmente. Grande parte das gestantes ainda deixa de fazer o pré-natal mensalmente, faltando às consultas marcadas ou não realizando os exames solicitados e necessários.

Segundo especialistas, a realização de um pré-natal adequado, com as mães cumprindo corretamente o calendário de consultas, exames e vacinas, é um dos fatores principais na redução da mortalidade infantil.

O ideal é que as mães iniciem o pré-natal assim que souberem da gestação. As unidades básicas de Saúde (UBS) realizam o teste que diagnostica a gravidez. A mulher passa por consulta com uma enfermeira para avaliação de risco da gestante, ou seja, se é hipertensa ou diabética, por exemplo. Na sequência, acontece o acompanhamento com um ginecologista.

Há também pedidos de exames de sangue como hemograma completo, para checar se a mulher está com anemia ou infecções; glicemia, para verificar a taxa de glicose; e algumas sorologias como HIV, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, sífilis congênita, hepatite B e C, entre outros exames de rotina.

O cumprimento correto do calendário pré-natal permite identificar problemas como hipertensão, infecção urinária e doenças transmissíveis, pelo sangue, de mãe para filho, como a do vírus HIV e a sífilis. Alguns desses problemas podem causar parto precoce, aborto e até trazer consequências mais sérias para a mãe ou para a criança. Ao todo, são realizadas no mínimo seis consultas durante o pré-natal.

As grávidas que precisam de cuidados especiais por complicações na gravidez, como hipertensão ou diabetes, são encaminhadas ao Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, serviço de referência na Região nestes casos, para acompanhamento de casos de risco obstétrico. Atualmente, 90 grávidas fazem esse acompanhamento.

Colunas

Contraponto