Prefeitura Santos
Prefeitura Santos Mobile

Anvisa aponta falhas no isolamento de cruzeiro da Costa em Santos

Os técnicos da agência verificaram algumas falhas no isolamento entre os passageiros, com a identificação de um tripulante com faringite aguda na área reservada para as pessoas sem sintomas

Comentar
Compartilhar
04 ABR 2020Por Folhapress09h10
O navio Costa Fascinosa estava no fundeio do porto desde o dia 17 de março e atracou no terminal de passageiros no dia 28.Foto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

Nesta quinta-feira (2), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) entrou novamente no navio Costa Fascinosa que permanece atracado em quarentena no terminal santista. Ele estava na área de fundeio do porto desde o dia 17 de março e atracou no terminal de passageiros no dia 28. Até o momento, nove tripulantes desceram por estarem com suspeita de Covid-19 e por precisarem de atendimento hospitalar. Os dois últimos desembarcaram na quarta-feira (1). Os nove desembarcados testaram positivo para o novo coronavírus.

Durante a segunda inspeção pra verificar se o navio, que tem 755 tripulantes a bordo, está cumprindo as determinações sanitárias da Anvisa, os técnicos da agência verificaram algumas falhas no isolamento entre os passageiros, com a identificação de um tripulante com faringite aguda na área reservada para as pessoas sem sintomas.

"Além disso, a pessoa com sintomas estava localizada em uma cabine interna, do meio do corredor. A determinação da Anvisa é que os casos com sintomas sejam colocados em quartos com varanda e que não sejam autorizados a sair das cabines. Qualquer sintoma relacionado ao sistema respiratório deve ser colocado em isolamento na embarcação", explicou a Anvisa por meio de nota.

Os técnicos da Anvisa também verificaram que alguns tripulantes não estavam respeitando o distanciamento mínimo de 2 metros que foi determinado.

Segundo a Anvisa, a Costa Cruzeiros, responsável pelo navio, está obrigada a apresentar todos os dias, até as 21h, os dados de saúde a bordo, a atualização do estado de saúde dos tripulantes internados e o registro de medição de temperatura de todos no navio, que deve ser feita duas vezes ao dia.

QUARENTENA RECOMEÇOU

A embarcação estava em quarentena desde o dia 19 de março. O prazo de 14 dias recomeçou novamente no dia 30 após o surgimento de casos sintomáticos a bordo. A contagem da quarentena recomeça a cada vez que um novo caso surge. Isso significa que o período de bloqueio da embarcação segue em vigor e não tem prazo definido para acabar. O desembarque nestas condições é permitido somente em caso de necessidade de atendimento hospitalar.

COOPERAÇÃO

A Costa Cruzeiros informou que está atuando em cooperação com a Anvisa para planejar o desembarque seguro dos tripulantes. "Todos os procedimentos de higiene e saneamento estão de acordo com as últimas diretrizes internacionais e visam preservar a saúde da tripulação. A condição de saúde está constantemente sendo monitorada pelo pessoal médico a bordo, em colaboração com as autoridades sanitárias brasileiras", afirmou a Costa Cruzeiros.