Alimentação requer cuidados até o final do verão

Durante as viagens, com o tempo reduzido de descanso, nosso organismo sofre com a desidratação e perda de sais minerais importantes

Comentar
Compartilhar
04 MAR 2017Por Da Reportagem15h30
A alimentação requer cuidados até o final do verãoFoto: Divulgação

O verão termina no dia 20 de março e, mesmo após o Carnaval, muita gente ainda aproveita o final da estação mais quente do ano para viajar ou programar passeios especiais aos finais de semana. Neste período também ocorrem abusos de alimentação. Em muitos casos, com o tempo reduzido de descanso, nosso organismo sofre com a desidratação e perda de sais minerais importantes.

“De modo geral, o ideal é continuar comendo mais frutas e legumes, além de castanhas, pois são fontes de energia vitaminas e sais minerais de fácil absorção”, explica o médico Nelson Marfil, especialista em endoscopia de vias aéreas e digestivas.

Neste sentido, as altas temperaturas também influenciam o bem-estar das pessoas em dias mais quentes.

“Vivemos uma época do ano de altas temperaturas, o que aumenta ainda mais os riscos de desidratação. Beber água num volume de cerca de 30 ml para cada quilo de peso durante o dia em intervalos curtos evita tal problema. Frutas e legumes, como já disse, além de ricos em vitaminas e sais minerais, também melhoram nossa hidratação. Já os alimentos à base de maionese devem ser evitados, pois este é um excelente meio de cultura para perigosas bactérias".

Dr. Nelson Marfil explica ainda que problemas simples relacionados à alimentação, se não forem bem tratados, pode evoluir para quadros mais preocupantes.

“Na área em que atuo, como endoscopista, na clínica Endocentro, em Santos, percebo um grande aumento no número de pacientes com problemas digestivos adquiridos ou bastante agravados nesta época. São comuns as gastrites relacionadas ao H.pylori, cuja presença crônica no organismo pode elevar o risco de câncer gástrico; as úlceras pépticas, a doença do refluxo gastro-esofágico e as colites também são bastante observadas. É muito importante salientar que qualquer inflamação crônica que não seja tratada adequadamente pode aumentar muito o risco de doenças graves como o câncer”.