Aids entre idosos aumenta 152% em 10 anos

Aumento está ligado ao comportamento sexual que mudou a partir de tratamentos de impotência

Comentar
Compartilhar
13 FEV 201315h12

A oferta de medicamentos para tratamento da impotência sexual vem mudando o comportamento sexual das pessoas com mais de 60 anos idade. Os idosos estão fazendo mais sexo, entretanto, a maioria quase absoluta não faz uso de preservativos. Autoridades e especialistas acreditam que esse comportamento esteja diretamente relacionado ao aumento de casos de Aids no Brasil.

O Ministério da Saúde alerta que a incidência de casos na terceira idade cresceu entre 1996 e 2006 de 441 para 1.113 — um aumento de 152% de novos casos diagnosticados, em dez anos. 

“De alguns anos para cá, eles estão muito mais ativos devido aos medicamentos para tratamento da impotência e a maioria não usa preservativo por falta de hábito”, afirmou o presidente do Fórum de Ong/AIDS do Estado de São Paulo, Rodrigo de Souza Pinheiro, que chamou a atenção para a necessidade de campanhas preventivas para idosos.

A médica infectologista Eliana Bataggia Gutierrez — coordenadora do programa de DST/AIDS do 4º Fórum Brasileiro de AIDS e 2º Fórum Brasileiro de Hepatites Virais, realizados em Santos na semana passada — atribui as estatísticas também ao aumento da expectativa de vida, que hoje no país é de cerca de 72 anos de idade. “As pessoas estão vivendo mais e, muitos, contraíram a doença antes dos 60 anos de idade. Tem gente que é portadora do vírus HIV há anos”.

Eliana sugere orientação e a distribuição de preservativos nos locais freqüentados pela terceira idade. O médico infectologista do Centro de Referência em Aids (Craids) de Santos, Marcos Caseiro, afirmou que portadores de HIV permanecem, em média, de 7 a 10 anos sem apresentar sintomas da Aids. “Alguns apresentam sintomas em dois anos”.  

Caseiro explica que idosos não deixam de usar o preservativo nas relações sexuais somente por questão cultural ou hábito, mas também por medo de perder a ereção ou dificuldade de colocá-lo.

Campanhas

Por conta da mudança do comportamento sexual dos idosos e o conseqüente aumento de casos nessa faixa etária, o Ministério da Saúde vem mudando o foco de suas campanhas de prevenção desde 2006, de acordo com nota enviada ao DL. Este ano, a campanha do Dia Mundial de Luta contra Aids — 1º de dezembro — terá como tema principal ‘Aids e Idosos’.