X
São Vicente

Vicentinos perdem linha de ônibus que passava pelo Valongo e permitia baldeação

Linha 925 (105), que passava pelo Valongo em Santos, onde podia-se fazer baldeação e pagar uma única tarifa, foi extinta

A linha servia os moradores da Cidade Náutica, em especial, o Conjunto Tancredo Neves / Nair Bueno/ DL

Centenas de trabalhadores e trabalhadoras, além de estudantes de São Vicente estão sofrendo por conta do fim da linha 925 (105) que passava pelo Terminal do Valongo em Santos, onde podiam fazer baldeação e pagar uma única tarifa. A linha servia principalmente os moradores do bairro vicentino Cidade Náutica, em especial do Conjunto Tancredo Neves, que receberá 1.120 famílias de Santos.

Segundo informações, a medida partiu da Administração do prefeito santista Rogério Santos (PSDB), sem conversar com a Administração do prefeito vicentino Kayo Amado (Podemos). A linha existia desde os tempos em que as duas cidades eram administradas pelo Partido dos Trabalhadores. David Capistrano e Luiz Carlos Luca Pedro - de 1993 a 1996.

Em Santos, um requerimento cobrando satisfações sobre a medida foi apresentado pelo vereador Francisco Nogueira, o Chico Nogueira (PT).

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

PREFEITURAS.

Segundo a Prefeitura de Santos, a Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos (CET-Santos) esclarece que o Terminal do Valongo foi reorganizado internamente, no início da pandemia, por ser um espaço com atendimento exclusivo para as linhas municipais. A linha 105, intermunicipal, deixou de ingressar no terminal por não atender às recomendações preconizadas pelas autoridades sanitárias.

A companhia também esclarece que a integração tarifária não depende de um terminal físico para ser viabilizada, podendo ocorrer por meio de cartão transporte, da mesma forma como se dá a integração do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) com as demais linhas de ônibus.

Mesmo se tratando de linha intermunicipal, a CET-Santos destaca que está em tratativas com a EMTU, a fim de reativar a integração tarifária da linha 105 com os coletivos municipais. A Prefeitura de São Vicente não se manifestou.

ESTADO DE GREVE.

Ainda sobre transporte público, em São Vicente, motoristas e demais empregados da empresa Otrantur, que opera o serviço no Município, mantiveram 'estado de greve'. Eles aguardarão posicionamento patronal até o próximo dia 17, quando terão nova assembleia, no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região, com base na lei de greve.

A empresa garantiu que, até 15 de novembro, pagará horas extras atrasadas e a diferença retroativa do reajuste salarial de 7,59% em 1º de maio, data-base da categoria. Também apresentará relação e forma de pagamento do vale-refeição nas férias por assiduidade. Antes, no dia 12, pagará o plano de saúde do mês.

Para evitar a greve, a Otrantur adiantou em sete dias o pagamento do salário mensal e quitou pendências do vale-refeição, cesta-básica e adiantamento salarial. Em assembleia no dia 4 de outubro, os trabalhadores suspenderam a paralisação, mas mantiveram o 'estado de greve' por causa de algumas pendências.

"O pagamento do salário, que normalmente era feito no quinto dia útil de cada mês, e dos três valores atrasados, foi acertado em 30 de setembro. Neste final de outubro, o patronal manteve o compromisso de manter sempre o pagamento do salário no último dia do mês, quando recebe o subsídio da Prefeitura", informou o Sindicato.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Saúde ampliou condições especiais em contrato de entrega de vacinas infantis

Um contrato é para o armazenamento de vacinas da Pfizer contra a Covid-19, e o outro, para o transporte, ambos numa temperatura de -90ºC a -60ºC. O valor dos serviços é de R$ 62,2 milhões

Santos

Sindicato abre mais de 100 vagas em cursos gratuitos; confira

As aulas acontecem na sede do SINHORES, em Santos, com início previsto para 15 de fevereiro

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software