Servidores da Educação de São Vicente cruzam os braços por um dia na sexta

Decisão foi aprovada após categoria receber proposta de 0% de reajuste do prefeito Pedro Gouvêa

Comentar
Compartilhar
22 MAR 2017Por Da Reportagem09h30
Profissionais da Educação se concentrarão em frente ao Paço Municipal na sexta-feira (24) em dois períodos, às 9 horas e às 14 horas; haverá assembleia no final do diaFoto: Matheus Tagé/DL

Os trabalhadores no magistério e na Educação Municipal de São Vicente deliberaram paralisar as atividades por 24 horas na sexta-feira (24). A decisão foi aprovada em assembleia da categoria realizada na última segunda-feira (20) na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Magistério e na Educação Municipal de São Vicente (Sintramem). A medida foi tomada, após a categoria receber uma proposta de 0% de reajuste do prefeito Pedro Gouvêa.

Sem reajuste salarial desde 2016, os trabalhadores reivindicam a reposição da inflação em 19,95% (referentes ao período de 2014/2016) e a aplicação dos índices sobre os valores de Cesta Básica e Abono ­Alimentação.

A categoria fará uma concentração em frente ao Paço Municipal nesta sexta-feira (24), em dois períodos, às 9 horas e às 14 horas.

Após a concentração, a categoria se reunirá em uma nova assembleia, às 19 horas, na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Vicente (SindServSV), que fica na Rua Visconde de Tamandaré, 234, para definir os próximos passos da mobilização da categoria, sem descartar a deflagração de uma greve por tempo ­indeterminado.

O presidente do Sintramem, Roberto Ciccarelli, ressalta que “se o município enfrenta dificuldades financeiras, o servidor público enfrenta dificuldades maiores ainda, pois além dos atrasos dos benefícios, os trabalhadores não tiveram nenhum reajuste salarial nos últimos anos, o que torna essa perda irrecuperável se não tivermos um reajuste salarial esse ano”.