Resgates de animais silvestres aumentam em 53% em SV

Temporada de primavera foi marcada pelo crescimento do número de salvamentos conduzidos pela Guarda Civil Ambiental

Comentar
Compartilhar
11 JAN 2021Por Da Reportagem22h42
Os animais salvos são levados para avaliação clinica, passando por um período de reabilitação até serem liberados e devolvidos ao habitat naturalFoto: Divulgação/PMSV

Levantamento da Guarda Civil Ambiental, em parceira com Secretaria de Meio Ambiente e Defesa Animal (Semam), mostrou que nos três meses de Primavera, entre 22 de setembro e 21 de dezembro, foram registrados 77 resgastes. As ações abrangem as mais variadas espécies, como saruês, bichos-preguiça, tartarugas verdes, bem-te-vi, garça maria-faceira e até pinguins de Magalhães.

As dificuldades enfrentadas pela pandemia vivida no ano de 2020 não afetaram os trabalhos da GCM Ambiental. Em comparação ao ano anterior, o número de resgates cresceu 53%. Além disso, foi constatado que o saruê foi o animal com maior número de salvamentos, devido à proximidade com a área urbana, deixando-o mais vulnerável.

Os animais salvos são levados para avaliação clinica, passando por um período de reabilitação até serem liberados e devolvidos ao habitat natural. Os resgates são efetuados com excelência em razão da alta capacitação do pelotão.

 

Recomendações - É indicado não entrar em contato direto com um animal silvestre. Basta acionar a Guarda Civil Ambiental, pela Secretaria do Meio Ambiente e Defesa Animal (Semam), pelos telefones (13) 3569-2274 e (13) 99679-3604 ou para GCM, por meio do número 153 (ligação gratuita), ou pelos e-mails [email protected] e [email protected]

Todos os animais resgatados ou apreendidos pela GCM Ambiental são encaminhados às seguintes instituições parceiras:

– Instituto Gremar (Guarujá). Animais e Aves marinhas, como tartarugas, biguás e savacus;

– Aiuká Consultoria e Soluções Ambientais (Praia Grande). Animais marinhos e algumas espécies silvestres, como falcões, gaviões e corujas.

 

– Centro de Pesquisa e Triagem de Animais Selvagens (Ceptas Cubatão). Recebe animais silvestres;

– Parque Zoobotânico Orquidário de Santos. Aves e pássaros, como bem-te-vi, sabiá e rolinha caldo-de-feijão;

– Parque Ecológico Voturuá em São Vicente. Apenas bicho-preguiça;

– Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Barueri);

– Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras), no Parque Ecológico Tietê, em São Paulo;

– Instituto Butantã (São Paulo);

– Instituto Animália (São Sebastião).