Guarda Civil Ambiental realiza resgate de animais silvestres em SV

Uma cobra d’água, uma tartaruga e duas aves foram salvas pela equipe

Comentar
Compartilhar
08 JAN 2021Por Da Reportagem20h43
Uma tartaruga Tigre d’água fêmea foi encontrada no ItararéFoto: Divulgação/PMSV

O trabalho da Guarda Civil Ambiental de São Vicente foi responsável por quatro resgates na quinta-feira (07). O primeiro animal a ser salvo foi um filhote de pássaro Curruíra que, após bater em um ventilador de teto, sofreu fratura na pata direita. A ave estava no Parque Bitaru e foi encaminhada ao Centro de Pesquisa e Triagem de Animais Selvagens (Ceptas), em Cubatão, para tratamento.

No período da tarde, a equipe retirou uma cobra d’água de uma via pública nas proximidades da Praia dos Milionários. O réptil foi socorrido e solto em um manguezal. Essa espécie é comum em lugares com cursos de água, por isso são boas nadadoras. Sendo assim o mangue é um dos seus habitats naturais.

Logo após, a GCM Ambiental foi solicitada pelo Grupamento de Bombeiros do Mar (GBMAR) para resgatar outro pássaro, desta vez um filhote de Sanhaço-cinzento, na praia do Gonzaguinha. A ave foi encaminhada para uma clinica veterinária no Guarujá.

Para finalizar o dia, o pelotão foi acionado para a rua José Adorno, no bairro Itararé, onde encontrou uma tartaruga Tigre d’água fêmea.

Em caso de resgate ou denúncia ligar para a Secretaria do Meio Ambiente e Defesa Animal, pelos telefones (13) 3569-2274 e (13) 99679-3604, na GCM pelo número 153, ou pelos e-mails [email protected] e [email protected]

 

Fiscalizações – Além do serviço de resgates, a GCM Ambiental também é responsável por outros serviços. No dia 5 de janeiro, em fiscalização na Av. Capitão Luiz Hourneaux (Jardim Guassu), a equipe flagrou uma reforma irregular em imóvel. A descoberta se deu após a verificação de um caminhão que obstruía a via. Conforme a Lei 877/17, artigo 15, ANEXO I e  ref. 10,  foi feita a notificação, por não apresentar o Plano de Gerenciamento de Resíduo da Construção Civil (PGRCC).  O condutor do caminhão foi orientado a fazer um novo Cadastro do Município e a entregar o comprovante do depósito do resíduo de construção.