São Vicente

'Eu ainda estava de luto e já haviam demandas para resolver'

Primeira mulher a presidir a OAB de São Vicente, Josiane Cristina Silva falou ao Diário sobre os desafios do novo cargo

Jeferson Marques

Publicado em 11/07/2022 às 07:00

Comentar:

Compartilhe:

Josiane Cristina se tornou a primeira mulher a ocupar o cargo / Nair Bueno/DL

'Foi um choque grande. Eu e o Eduardo Kliman tínhamos uma relação de amizade que ia além da OAB. Era algo familiar mesmo, como um irmão". Foram com essas palavras que a nova presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Vicente, Josiane Silva, iniciou a conversa com o Diário. Sentada à mesa até pouco tempo ocupada por Kliman (que faleceu no dia 31 de maio, aos 46 anos) ela conta como foi o processo de luto e fala dos desafios à frente da casa.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Diário - Como foi receber a notícia da morte do Kliman, até pela grande amizade que vocês tinham?

Josiane - 'Foi um choque muito grande. Eu e o Kliman tínhamos uma relação de amizade que ia além da OAB. Era algo familiar mesmo, como um irmão. Conversávamos 24 horas por dia. Eu soube através da nossa secretaria geral (Marystella Carvalho Ferreira) logo que ele faleceu. Um sentimento de tristeza e angústia. Sou uma pessoa que não gosta de velórios. Desde a morte da minha mãe eu tenho muito problema com isso. Mas fui fazer a última despedida; um momento muito doloroso'.

Diário - Quando 'caiu a sua ficha' de que você, agora, era a presidente da OAB de São Vicente? Aliás, a 1ª mulher a presidir a casa.

Josiane - 'No próprio velório alguns colegas já estavam me dando apoio para seguir. Acho que cair a ficha, mesmo, foi a partir da semana seguinte, quando as demandas estavam ali para serem resolvidas. A máquina continuava funcionando e eu, por mais que ainda estivesse abalada, precisava reunir forças para continuar. Não foi fácil sentar na cadeira que ele sentava, mas era preciso. Aliás, ele já tinha na cabeça que eu seria a sua substituta nas próximas eleições. Só não esperávamos essa reviravolta tão dolorosa para todos'.

Diário - Como foi sentar nessa cadeira? Você já se sentia preparada para o cargo?

Josiane - 'Passou pela minha cabeça que, sim, talvez eu não estivesse preparada naquele momento. Estávamos na mesma diretoria? Sim, mas cada um com a sua atribuição. Apesar do planejamento para que eu concorresse nas próximas eleições com o apoio dele (Kliman), deu um frio na barriga tremendo. Mas sei que ele, lá de cima, está me ajudando, de alguma forma. E estou aqui, trabalhando de forma responsável e aprendendo mais a cada dia.

Diário - Você mantém algumas coisas que ainda vinham do modo de agir do Kliman ou já é possível ver o jeito Josiane de liderar a casa?

Josiane - 'Ele era bem dinâmico e explosivo no jeito de falar. Ele até brincava que eu era muito 'meiguinha' (risos). Somos pessoas diferentes. Dependendo da situação a resposta que ele daria poderia ser a mesma que eu dei, mas eu, talvez, falei de outro jeito. Entende? Nós temos projetos em andamento que serão mantidos, pois eram da nossa diretoria, mas algumas mudanças pontuais já foram feitas, o que acaba sendo inevitável'.

Diário - Na sua visão, essa demora para uma mulher ser eleita presidente da OAB de São Vicente se deu por qual ou quais motivos?

Josiane - 'Os cargos de liderança ainda são, em sua maioria, exercidos por homens. A estrutura é formada para isso. Até uns anos atrás era difícil ver nós, mulheres, nesses cargos. Mas estamos conseguindo mudar um pouco isso. Além de mim já há outras mulheres ocupando alguns desses cargos, mesmo que em minoria. Muitas pessoas ainda acham que o sexo feminino não pode exercer uma função de poder. Mas, como eu disse, o movimento da mudança já começou.

Diário - Como é a OAB presidida pela Josiane?

Josiane - 'A OAB de São Vicente está aberta não apenas para os advogados, mas também para o público. As pessoas podem vir aqui buscar informações e serem orientadas. Além disso temos vários projetos sociais que saem de dentro da Casa e chegam nas pessoas.

Diário - Claro que, daqui a alguns anos, você será lembrada como a 1ª mulher a ser presidente da OAB de São Vicente. Mas, qual legado você pretende deixar para ampliar essa lembrança?

Josiane - 'Quero ser lembrada como alguém que trabalhou pela advocacia e que fez a diferença ao colocar projetos e ações importantes para a população em prática. Como mãe tenho um foco maior voltado para as crianças e adolescentes, e tenho muitas ideias para esse público. Enfim, quero ser lembrada como uma mulher que fez as coisas darem certo e que teve a sua importância para a sociedade'.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Lançamento de livro sobre Movimento dos Sem Terra acontece nesta segunda-feira

Celebração acontece na Realejo Livraria, no Gonzaga, em Santos, ás 18h

Diário Mais

Rodovia dos Imigrantes, que liga ao litoral de SP, tem estrada escondida e cachoeira

Porém, é importante dizer que a visitação ao local é proibida, mesmo com algumas pessoas postando fotos e vídeos lá

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter