Estátua de Martim Afonso de Sousa é restaurada após atos de vandalismo

Processo de recuperação levou cerca de um mês

Comentar
Compartilhar
02 ABR 2018Por Da Reportagem15h31
A restauração ficou a cargo de alunos do curso de auxiliar técnico em restauro do Instituto Histórico e Geográfico de São VicenteA restauração ficou a cargo de alunos do curso de auxiliar técnico em restauro do Instituto Histórico e Geográfico de São VicenteFoto: Matheus Tagé/Arquivo DL

A estátua de Martim Afonso de Sousa que fica permanentemente exposta no jardim da Casa Martim Afonso foi restaurada após sofrer atos de vandalismo há aproximadamente três anos. A escultura teve parte do braço esquerdo danificado e a espada arrancada.

A restauração ficou a cargo de alunos do curso de auxiliar técnico em restauro do Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente, sob a supervisão do professor e restaurador Leonardo Branco. Os materiais usados para o restauro foram resina e fibra de vidro. Todo o trabalho levou cerca de um mês para ser concluído.

Branco destaca que a Secretaria de Cultura (Secult) o convidou “porque há uma preocupação com a preservação do nosso patrimônio”. Ele também considera que o processo foi muito satisfatório e comenta sobre a importância de se preservar esse tipo de obra. “A identidade de um povo está na sua história, na sua cultura. Então essa preservação sempre tem que ser feita para que as pessoas tenham sempre a cultura presente em suas vidas.”

Ex-aluna do curso de restauro, a estudante Beatriz Groschope Muniz também participou do trabalho.  Ela conta que via os vizinhos da Casa Martim Afonso comentando sobre a restauração. “Eles ficaram visivelmente felizes pelo fato de estarmos recuperando a representação do ícone da Cidade”.