Completamente lotado! São Vicente tem 100% de seus leitos ocupados, diz prefeitura

Situação do sistema de saúde na cidade já era grave até sábado, mas município registrou ocupação completa no domingo

Comentar
Compartilhar
07 JUN 2021Por Da Reportagem11h30
Até sábado, São Vicente ainda possuía vagas na enfermaria, mas chegada de pacientes com Covid-19 deixou sistema de saúde da cidade em situação graveAté sábado, São Vicente ainda possuía vagas na enfermaria, mas chegada de pacientes com Covid-19 deixou sistema de saúde da cidade em situação graveFoto: Divulgação / Prefeitura Municipal de São Vicente

O boletim de Covid-19 divulgado neste domingo (6) pela Secretaria da Saúde de São Vicente (Sesau) aponta que o município já não possui mais vagas para pacientes em suas unidades de saúde. Segundo a Prefeitura, na ala Covid do Município, que funciona dentro do Hospital São José, 47 pacientes estão internados. Ao todo, 37 leitos de enfermaria estão ocupados, o que corresponde a 100% das vagas disponíveis. Já nos leitos de UTI, dez pacientes estão internados, o que também representa 100% da capacidade total.

Ainda em seu boletim, São Vicente destaca que, até o momento, foram realizadas 35.655 testagens, com 16.631 casos positivos, 18.412 negativos e 612 no aguardo de resultado. Entre os contaminados, somam-se 15.322 altas, 870 óbitos, 395 recomendações para isolamento domiciliar e 42 internações (18 em UTI). Já dos que esperam a conclusão dos exames, estão 431 altas, 22 óbitos, 142 recomendações para isolamento domiciliar e 17 internações (uma em UTI).

Até sábado (5), São Vicente afirmava que na ala Covid do Município, 35 leitos de enfermaria estavam ocupados de um total de 37 vagas disponíveis, o que representava 94% da capacidade. Já nos leitos de UTI, todas as 10 vagas disponíveis estava ocupadas desde o mês de maio.

O Diário do Litoral entrou em contato com a Prefeitura de São Vicente para buscar mais informações de como está sendo feito o encaminhamento de pacientes que procuram as unidades de saúde do município com sintomas graves de Covid-19 nesta segunda-feira (7), primeiro dia em que a cidade já não registra mais vagas. Em nota, a Administração Municipal informa, por meio da Secretaria de Saúde (Sesau), que todos os pacientes estão sendo atendidos conforme a capacidade do Município. Caso não haja vaga para internações, o paciente é inserido no sistema da Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde (Cross). A Sesau informa ainda que os pacientes com suspeita de Covid-19 passam por triagem em tenda instalada em frente ao Hospital Municipal de São Vicente (HMSV). Após a triagem e avaliação médica, caso necessário, o paciente fica em observação ou aguardando transferência, em um dos sete leitos de enfermaria do Setor Vermelho, que fica em área isolada dos demais locais de atendimento do hospital. O HMSV funciona 24 horas e fica na Rua Ipiranga, 353, no Centro.

A Cidade conta, também, com a Ala Covid, que fica dentro do Hospital São José. Nesta área, são realizadas internações de enfermaria e de UTI para pessoas que apresentam quadro mais grave. Os pacientes são transferidos do Setor Vermelho (HMSV) para a Ala Covid (HSJ). O teste de coronavírus pode ser realizado em unidades de pronto atendimento: Hospital Municipal de São Vicente (Rua Ipiranga, 353 - Centro); Pronto Atendimento Parque Bandeiras (Praça Brasília s/n) Pronto Atendimento Humaitá (Av. Dr. José Singer, 541).

NA REGIÃO.
A cidade de Santos aponta, por meio do boletim deste domingo, que a rede de saúde municipal registrou queda no número de pessoas internadas, de 547 para 536 (-2%). Destas, 256 são de Santos (47,8%) e 280 (52,2%) de outros municípios. Houve diminuição também no número de internados nos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), voltados para os casos mais graves, de 311 para 301 (-3,2%). Destes, 140 são de Santos (46,5%) e 161 de outras cidades (53,5%). A taxa geral de ocupação dos 780 leitos covid-19 disponíveis está em 69%. Entre os 407 leitos de UTI, a ocupação é de 74%. Na rede SUS, a taxa é de 64% e, na rede privada, 85%.

Em Guarujá, a situação, de acordo com a Administração Municipal, é mais tranquila. Na quarta-feira (2), último dia em que a Prefeitura emitiu um boletim antes do feriado prolongado iniciar, os leitos públicos exclusivos para tratamento de pacientes com sintomas compatíveis com a Covid-19 estão com ocupação de 36%. Sendo 33% em enfermaria e 46% em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).