Cetesb vai avaliar situação das praias de São Vicente

Detritos se misturam a animais marinhos mortos em trecho do Itararé; esgoto vaza de banheiro ao lado de quiosques

Comentar
Compartilhar
16 JUN 2016Por Diário do Litoral18h23
As areias do Itararé e Gonzaguinha estão tomadas de lixoAs areias do Itararé e Gonzaguinha estão tomadas de lixoFoto: Rodrigo Montaldi/DL

A agência da Companhia Ambiental Do Estado de São Paulo (Cetesb), em Santos, está avaliando a mortandade de animais marinhos nas praias de São Vicente. Devido à greve dos trabalhadores da Companhia de Desenvolvimento de São Vicente (Codesavi) as areias do Itararé e Gonzaguinha estão tomadas de lixo. Em um trecho próximo à Pedra da Feiticeira, a quantidade de detritos na beira do mar é grande e se mistura a peixes mortos, inclusive tartaruga.

“Estamos avaliando o grave problema nas praias de São Vicente para que possa tomar as devidas medidas administrativas. Por enquanto, não temos condições de adiantar as causas e quais providências serão tomadas para sanar o problema”, afirmou a Cetesb por meio de nota.

Na manhã de quarta-feira (15), o educador físico Marcelo Lopes de Oliveira, registrou imagens da situação da praia do Itararé. No vídeo publicado por ele nas redes sociais, o professor compara a orla de São Vicente e de Santos mostrando os detritos e uma tartaruga marinha morta. A quantidade de lixo é muito grande.

“Tinha fralda, urubus, peixe morto e um cheiro muito ruim. Não costumo postar esse tipo de vídeo (denúncia) na internet, só postei porque a situação é absurda. Para ver se tomam providência com a limpeza. Não como não se comover. É degradante. Não teve como não publicar”, disse Oliveira. Ele corre com um grupo de pessoas duas vezes por semana entre nas praias de Santos e São Vicente.

O Diário do Litoral esteve na praia do Itararé na tarde desta quinta-feira (16). A tartaruga não estava mais lá, mas o lixo, provavelmente arrastado pela ressaca até a beira do mar, ainda permanecia no mesmo local. Também havia muitos peixes mortos. Sacos plásticos, bolsa, casaco, partes de eletrodomésticos, embalagens, sapatos, corda e um triciclo infantil estavam no monte. Um homem vasculhava os detritos.

Comércio. Entre os funcionários dos quiosques da praia do Itararé o sentimento é de revolta. Com as baixas temperaturas, o movimento já é fraco e a situação piora com o cenário de lixo e abandono nas areias e jardins. Eles fazem o que podem para amenizar o problema, mas não é suficiente.

“Já está há mais de um mês essa situação e está atrapalhando as vendas. Enche de mosca. Os clientes não sentam e é complicado. Eles vem aqui e não tiram. Só amontoam mais. Misturam o lixo com a terra e deixa amontado. Daí vem a ressaca e leva tudo para o mar”, disse Danilo Tobias, funcionário de um quiosque.

Não bastasse o lixo, no banheiro, cuja manutenção é de responsabilidade da Codesavi, o esgoto está entupido e escorrendo para o jardim e areia da praia. “O proprietário já entrou em contato com a prefeitura e não tem retorno. Quando vem e só faz limpeza mínima. Sai passa dois dias e volta o problema”, afirmou Tobias.

Prefeitura. Procurada para falar sobre a mortandade de animais marinhos e os detritos espalhados na beira do mar, a Prefeitura de São Vicente informou, por meio da Guarda Civil Municipal (GCM), que o Pelotão Ambiental da GCM fiscaliza a região marítima. Disse que em situações de descarte irregular de lixo na praia, é feita uma notificação. Em seguida o documento é encaminhado à Secretaria de Obras e Meio Ambiente (Seobam) para que seja aplicada a multa ou advertência de acordo com a infração cometida.  

Com relação à coleta de lixo/entulho, a Administração Municipal disse que estava prejudica devido à greve, e a Codesavi informou que os salários dos funcionários concursados foram pagos nesta quinta-feira (16), na condição de retorno imediato ao trabalho. A cesta básica devida será entregue até a próxima quarta-feira (22), além da regularização imediata do Plano de Saúde da categoria.