Vereador quer cruzar dados para saber se médicos estão cumprindo horários

A ideia do parlamentar é cruzar os dados junto às informações de Santos para identificar se existe algum médico que não está cumprindo com o horário de trabalho

Comentar
Compartilhar
11 MAR 2017Por Da Reportagem10h30
Caso seja comprovada a prática, Furtado garante que irá levar caso ao Ministério Público e para a PrefeituraFoto: Matheus Tagé/DL

O vereador santista Benedito Furtado (PSB) enviou requerimentos a todas as outras cidades da Baixada Santista para ter, via lei de acesso à informação, a relação de todos os profissionais médicos que estão lotados e integram o quadro do funcionalismo da prefeitura de cada município, sejam eles concursados ou não.

A ideia do parlamentar é cruzar os dados junto às informações de Santos para identificar se existe algum médico que não está cumprindo com o horário de trabalho. A iniciativa surgiu, segundo Furtado, após uma denúncia feita por uma profissional de ­enfermagem.

“Estive conversando com uma enfermeira muito conceituada que trabalha na região. Ela me disse que eu não imaginava o que tem de profissionais, na área médica,  que trabalham em duas ou três prefeituras e ainda fazem consultório. É uma vergonha”, disse o vereador.

“Tem profissional  que, por exemplo, trabalha em regime de seis horas, mas trabalha uma hora por dia. Ele concentra a agenda em uma hora, faz o trabalho e vai embora. E a unidade fica sem ninguém. Depois, ele vai para outra prefeitura e faz a mesma coisa e por aí vai. Já tinham me falado isso, mas vindo de uma  profissional da área de enfermagem, me preocupei”, prosseguiu o pessebista.

Além do quadro de profissionais médicos, o parlamentar também quer saber a especialidade de cada um desses profissionais, a carga horária semanal de cada um deles, o horário de trabalho e o local onde atuam estes médicos.

“Eu vou pegar todos os médicos, colocar num computador, checar um por um para saber se é verdade. Precisamos ver isso. Claro que tem muito médico responsável que cumpre os seus horários. Mas tem ainda aqueles que, na realidade, não tem jeito. E sempre tem alguém que os protege. Não tenho nada contra médico A, B ou C. Mas se ele é contratado, ele tem que cumprir as horas dele. É o dever. Se não está satisfeito, pede demissão”, explicou o ­vereador. 

Se constatar a existência da prática em Santos, Benedito Furtado pretende cobrar providências da Prefeitura.

“Eu vou mandar para a Prefeitura. Tem que abrir inquérito e apurar. Mandarei para o Ministério Público também”, concluiu Furtado.