X

Santos

Sindicatos dividem servidores por campanha salarial em Santos

Sindserv mostra que parte da categoria continua na luta. Sindest afirma que a outra aceitou proposta da Administração

Carlos Ratton

Publicado em 14/02/2023 às 07:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Direção do Sindserv mostrou que continua na luta ao realizar um ato por conta da falta de entendimento / Nair Bueno/DL

Uma situação que perdura anos em Santos, a de ter dois sindicatos que representam os servidores públicos - Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv-Santos) e Sindicato dos Servidores Estatutários Municipais de Santos (Sindest) - está dividindo a categoria no momento de negociar avanços trabalhistas dentro da campanha salarial.

Ontem, por exemplo, às 9 horas, em frente à sede da Caixa de Assistência ao Servidor Municipal (Capep-Santos), na Avenida Francisco Glicério, 479 - Pompéia, a Direção do Sindserv mostrou que continua na luta ao realizar um ato por conta da falta de entendimento com a Administração Santista.

"Mesmo sabendo que todo mês Capep fecha no negativo em mais de dois milhões, o Governo negou todas as reivindicações referentes à autarquia", afirmam os sindicalistas, que também não estão vendo progresso nas demais reivindicações, tendo avanço apenas referente a realização de concursos públicos este ano em 2024.

PROPOSTAS

O Sindserv quer 23,46% de aumento salarial e a Administração só quer oferecer 11%. Quer R$ 880,00 de auxílio alimentação por mês (o que dá R$ 40,00 por dia), mais a extensão do benefício ao segundo registro dos servidores com dois registros funcionais, e a oferta da Prefeitura é R$ R$ 792,00 (o que dá R$ 36,00 por dia), sem extensão.

Em relação a cesta-básica, a categoria quer R$ 693,82 (conforme média publicada pelo próprio governo), bem como a extensão do benefício a todos os servidores da Prefeitura (ativos e inativos) e ao segundo registro dos servidores com dois registros. A Prefeitura oferece R$ 432,90, sem extensão.

Segundo o Sindserv, a Prefeitura ainda não teria respondido sobre a imediata abertura de concurso público para todas as áreas, nomeação dos trabalhadores aprovados nos concursos vigentes, cumprimento integral dos Planos de Carreira e criação de cargos em número suficiente para suprir a necessidade dos serviços públicos em todas as áreas.

Ainda sobre o aumento de 1,5% do repasse da Prefeitura à Capep (de 4% para 5,5%) e revogação da Lei Complementar 1.125/2021 que alterou as regras do Adicional de Titularidade. E também não se manifestou sobre a revogação das leis e contratações terceirizadas no serviço público, entre outras.

SINDEST

Já o Sindest informa que na assembleia de terça-feira (7) a categoria aceitou a proposta salarial da Prefeitura, para a data-base de fevereiro, com reajuste de 11% no salário e na cesta-básica. No vale-refeição, 30,91%.

O secretário municipal de Finanças e Gestão, Adriano Leocádio, concordou com a elevação do limite salarial dos aposentados, para percepção da cesta-básica, de quatro para cinco salários mínimos.

Segundo o sindicalista, nenhum aposentado beneficiado com a cesta perderá o direito a ela por causa do reajuste de 11% nos vencimentos.

O diretor de Comunicação Daniel Gomes lembra que o movimento resultou também no acréscimo de 0,5% da folha na contribuição da Prefeitura com a Capep.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Confira o resultado do Timemania no concurso 2098, nesta terça (28)

O prêmio é de R$ 3.000.000,00

Cotidiano

Confira o resultado do Dia de Sorte no concurso 919, nesta terça (28)

O prêmio é de R$ 550.000,00

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter