Santos: Motorista sofre tentativa de golpe em posto de gasolina: 'De R$ 59 pra R$ 639'

Funcionário do local tentou cobrar valor dez vezes mais alto por suposta troca de óleo

Comentar
Compartilhar
05 ABR 2021Por Da Reportagem13h40
Posto e combustíveis em Santos já havia sido alvo de ação do Ipem em fevereiro de 2021Posto e combustíveis em Santos já havia sido alvo de ação do Ipem em fevereiro de 2021Foto: Divulgação / Ipem

Uma moradora de Santos afirma ter sido vítima de uma tentativa de golpe em um posto de combustíveis no bairro Jabaquara durante a manhã da primeira sexta-feira (2) deste mês. De acordo com informações do boletim de ocorrência, ela explicou que foi avisada pelos funcionários do local que eles precisariam realizar um procedimento simples e que não custaria mais do que R$ 60 no veículo da motorista, mas pediram R$ 638,00 ao final do atendimento.

De acordo com a autora do boletim de ocorrência, ela chegou ao posto de combustíveis por volta das 9h45 de sexta-feira e foi abordada por um homem que se identificou como um funcionário do local que a informou que o nível de óleo no carro estava baixo e que fariam a troca do líquido e cobrariam apenas R$ 59,90 pelo procedimento. Após concordar, ela afirmou, entretanto, que os responsáveis pelo atendimento disseram que a conta final teria dado R$ 638,00.

"Eu já sabia da má fama desse posto, mas tava indo a caminho da Praia Grande pra ajudar meu avô que não estava se sentindo muito bem e parei no semáforo que era em frente a esse maldito desse posto. Eu vi que meu tanque de combustível tava pela metade e parei nele. Só que enquanto eu tava abastecendo R$ 50,00 veio um outro homem que não estava de uniforme e falou que ia ver o óleo. Ele perguntou se tava na hora de realizar a troca e eu disse que não, porque o carro tinha passado por revisão em dezembro, mas ele falou que o nível estava um pouco baixo", afirma. 

Indignada com o valor mais de dez vezes maior do que o combinado anteriormente, a vítima quesitonou os homens, que afirmaram que ela não havia entendido corretamente o preço. Revoltada, a motorista afirmou que chamaria a polícia e explicou que imediatamente os homens recuaram e afirmaram que não havia necessidade de pagar mais nada. Com receio de que o veículo pudesse ter sido alvo de alguma adulteração, ela ligou para o marido, que questionou o que havia ocorrido aos responsáveis pelo estabelecimento, os quais novamente afirmaram para ele que a esposa havia apenas entendido errado o valor cobrado anteriormente.

Ao final do atendimento, a vítima pagou os R$ 59,90 combinado anteriormente e levou o automóvel a seu mecânico de confiança nesta segunda-feira (5), que afirmou a ela que nada havia sido feito no carro. A Reportagem tentou entrar em contato com o posto de combustíveis, mas não localizou qualquer tipo de forma de contato telefônico ou pela internet. Em fevereiro deste ano, o mesmo estabelecimento comercial foi alvo de uma fiscalização do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP). Durante a ação, os profissionais encontraram irregularidades em todas as 12 bombas, que haviam sido alteradas para alterar a quantidade de combustível abastecido.