Santos: em denúncia contra 100 mil mortes pelo coronavírus, grupo finca cruzes na praia

O Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Vida foi organizado pelas centrais sindicais e tiveram protestos e paralisações em todo o País

Comentar
Compartilhar
07 AGO 2020Por Da Reportagem17h40
Protesto aconteceu no mesmo dia em que presidente Jair Bolsonaro esteve na Baixada SantistaFoto: Intersindical Central da Classe Trabalhadora / Sindicato dos Bancários de Santos e Região

No mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro visitou a Baixada Santista para checar o andamento das obras da Ponte dos Barreiros, a Intersindical Central da Classe Trabalhadora, regional Baixada Santista, realizou o dia denominado 'Fora Bolsonaro'.

O evento foi realizado na praia do Gonzaga,em frente da Praça das Bandeiras, em Santos, contra as 100 mil mortes no Brasil sem um ministro qualificado para a área da saúde, a falta de estrutura no combate a pandemia, o desmatamento das florestas e mortes de indígenas, o desemprego e a miséria, o desmonte da educação pública, o ataque à cultura, a corrupção, contra o crime organizado e o autoritarismo.

"O protesto foi realizado juntamente com movimentos sociais e partidos políticos de oposição. Foram fincadas cruzes e uma faixa com o tema Fora Bolsonaro, pelo luto aos quase 100 mil brasileiros que morreram em cinco meses de pandemia vítimas do negacionismo político do governo federal e a falta de compromisso em combater o novo coronavírus", diz Ricardo Saraiva Big, secretário de relações internacionais da intersindical central da classe trabalhadora e presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região.

O Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Vida e em denúncia aos quase 100 mil mortos vítimas do Covid-19, foi organizado pelas centrais sindicais e tiveram protestos e paralisações em todo o País.