SEDUC

Santos é a 6ª cidade mais inteligente do país, de acordo com o Ranking Connected Smart Cities 2019

Único estudo sobre cidades inteligentes, no Brasil, o Ranking contempla todas as cidades brasileiras com mais de 50 mil habitantes

Comentar
Compartilhar
18 SET 2019Por Da Reportagem09h25
Foto: Tadeu Nascimento/PMS

A edição 2019 do Ranking Connected Smart Cities classificou Santos (SP) como a 6ª cidade mais inteligente e conectada do país. A Cidade também conquistou a 1º colocação na categoria Meio Ambiente, 2ª em Urbanismo e 12ª em Economia. Campinas (SP) conquistou o 1º lugar e, São Paulo (SP), a segunda posição do Ranking Geral. Curitiba (PR) a 3ª posição, seguida por Brasília (DF) e São Caetano (SP). Na 7ª colocação, destaca-se Florianópolis (SC), seguida por Vitória (ES), Blumenau (SC) e, na 10ª posição, Jundiaí (SP).

Em sua 5ª edição, o Ranking Connected Smart Cities inova mais uma vez e traz, na versão 2019, a incorporação de conceitos e novos indicadores baseados na ISO 37122 -Sustainable Cities And Communities - Indicators For Smart Cities, mantendo-se como a melhor referência para comparação e análise de cidades inteligentes no Brasil. O resultado é apresentado em 4 frentes: geral, por eixo temático, por região e por faixa populacional.

O Ranking Connected Smart Cities é composto por indicadores de 11 principais setores: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia, mesmos eixos temáticos do evento Connected Smart Cities. "A Plataforma Connected Smart Cities é uma iniciativa que envolve empresas, entidades e governos e tem por missão encontrar o DNA de inovação para cidades mais inteligentes e conectadas, sejam elas pequenas ou megacidades", comenta a idealizadora da plataforma e diretora executiva da Sator, Paula Faria.

Destaque Santos (SP)
O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, ressalta que uma cidade inteligente é aquela que tem o cidadão como foco de suas ações. "Temos que ter em mente que as ações do poder público precisam ter reflexos positivos na vida das pessoas. Uma smart city deve considerar as necessidades da população, diante das mais diferentes ameaças externas, e ter uma alta capacidade de transformação. Nesse sentido, a tecnologia permite atuar de forma direta para a melhoria da qualidade de vida na cidade. Seguindo essa premissa, implantamos ações como o andamento de processos de forma digital, localização dos ônibus por meio da internet, prestação de contas online, além do monitoramento por meio de câmeras e o Parque Tecnológico, instrumentos que permitem o desenvolvimento de políticas públicas com foco no resultado. Assim, vale destacar que os rankings, como o Connected Smart Cities reconhecem e valorizam o trabalho dos gestores e permitem, ainda, identificar boas práticas na administração pública, oferecendo cases para o intercâmbio de informações a partir de experiência exitosas", disse.

E conclui: "Adotamos políticas públicas inovadoras em busca de eficiência na gestão pública, com foco nos resultados. Por isso, implantamos o Programa de Participação Direta de Resultados, no qual cada secretário assina um contrato de gestão com metas claras e com apuração mensal. Se a secretaria atingir as metas, os servidores recebem um bônus no salário. Se não atingir, não recebe. Hoje, temos mais de 800 indicadores acompanhados e que estão a disposição para consulta pela internet, ou seja, qualquer cidadão pode acompanhar e verificar se as metas foram alcançadas e os resultados obtidos. Isso favorece a transparência e o foco nos resultados."

Santos em números
O município de Santos destaca-se no quesito meio ambiente, eixo com maior tropicalização dos indicadores do Ranking, apresentando níveis internacionais, com 100% de atendimento urbano de água e perdas de 14,3% na distribuição; 100% de atendimento urbano de esgoto e tratamento de 97,6%; a recuperação de materiais recicláveis atinge 1,3%; 100% de cobertura do serviço de coleta de resíduos; sistema de monitoramento de área de risco; e 1,9% dos resíduos plásticos recuperados na cidade.

Já no eixo Economia, Santos apresenta crescimento de 9,4% do PIB per capta, no último período analisado; 91,8% dos empregos na cidade estão no setor privado; 0,65 empregos formais por habitante referente a População Economicamente Ativa (PEA); 6,0% da força de trabalho está em ocupações nos setores de educação e pesquisa e desenvolvimento; 67,4% da receita municipal não é oriunda de repasses; e renda média dos trabalhadores formais de R$ 3.090.