X

Santos

Santos contrata empresa e retomada das obras no Coliseu fica mais próxima

Prefeitura aguarda Estado concluir a formalização do aditamento do convênio Dadetur

Da Reportagem

Publicado em 26/01/2023 às 15:45

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Falta pouco para a retomada das obras no Teatro Coliseu / Arquivo/PMS

Falta pouco para a retomada das obras no Teatro Coliseu, patrimônio histórico do Centro de Santos. Enquanto o governo do Estado conclui a formalização do aditamento do convênio Dadetur para liberação da verba, o Município faz a sua parte. Foi contratada a segunda colocada na licitação de 2019 para dar prosseguimento à primeira etapa da reforma e restauro do local. 

Tratam-se dos serviços de conservação de fachadas e telhado, de acordo com projeto de restauro aprovado anteriormente, incluindo material, equipamentos e mão de obra. Sob a fiscalização da Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi), a empresa Lemam Construções e Comércio vai executar a obra com o valor de R$ 3.218.361,24. O prazo de entrega estipulado no contrato publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (25) é de 12 meses, a partir da emissão da Ordem de Serviço.

RESTAURO E MODERNIZAÇÃO

A primeira etapa de intervenção no Teatro Coliseu, que teve os serviços paralisados pela Prefeitura, compreende a restauração da fachada e a pintura do prédio anexo, atualização do sistema de para-raios e modernização do sistema de iluminação cênica da fachada, além da cobertura do palco e recuperação do terraço da fachada.

Também está incluída no projeto a recuperação da calçada do entorno, em concreto desempenado, no padrão Calçada para Todos, entre outros itens.

A Spalla Engenharia, vencedora da licitação em 2019 para executar a primeira etapa de reforma e restauro do Teatro Coliseu, foi multada em R$ 1.077.787,07. A importância corresponde a um terço do valor da obra, baseada na cláusula 8ª, parágrafo 4º, do contrato assinado com o Município.

A contratada responde por inexecução parcial da obra, com as correspondentes sanções, de acordo com as cláusulas contratuais, que incluem multa de mais de R$ 1 milhão, calculada sobre os serviços não finalizados.

No início de maio de 2022 a Siedi notificou a empresa para desmobilização da obra e retirada dos equipamentos, materiais e operários do local. O motivo da medida foi o vencimento do contrato da obra, em 26 de abril, sem que os serviços estivessem concluídos. E essa não foi a primeira notificação. Antes disso, a Siedi já havia emitido outras notificações à empresa por atraso em diversos itens no cronograma da obra.

OUTRAS ETAPAS

A segunda etapa de obras envolve a reforma de manutenção da estrutura superior do palco, chamada de urdimento. O sistema que aciona as cortinas e as luzes de palco (varas cênicas) será modernizado, assim como a vestimenta de palco (cortinas). Já a 3ª etapa prevê o mobiliário da plateia.

O Município negocia com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) a obtenção de R$ 11 milhões para as outras etapas de obras no Teatro. O objetivo é que o Coliseu esteja totalmente reformado e restaurado para as comemorações do seu centenário, em junho de 2024.

Para a reforma e restauro total do Teatro Coliseu são necessários cerca de R$ 22 milhões: além dos R$ 11 milhões em tratativa com o BNDES, são R$ 5,5 milhões de verba Dadetur e R$ 5,5 milhões de uma empresa do Porto de Santos para incentivo à cultura, por intermédio da Lei Rouanet.

Até 2024, os espaços do Teatro poderão ir sendo liberados para uso gradativamente, a partir do término da primeira etapa de obras, de acordo com análise da Secretaria de Cultura (Secult), responsável pelo equipamento.
 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Loja de Porto Alegre confirma morte de animais por afogamento

Estabelecimento não soube informar a quantidade exata de bichos

Bertioga

Fique ligado! Ruas de Bertioga serão interditadas neste fim de semana

Motivo se dá pelas comemorações do 33º aniversário do município

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter