Reflexão sobre racismo estrutural marca homenagem a Zumbi dos Palmares em Santos

A celebração reuniu autoridades municipais, representantes de religiões de matrizes africanas e de outras entidades, respeitando as medidas de prevenção à covid-19

Comentar
Compartilhar
20 NOV 2020Por Da Reportagem14h55
Teve hino Nacional pela voz da cantora Simone Anselmo ao som de berimbau e pandeiro, tocados pelas mãos de capoeiristas do mestre CíceroFoto: DIVULGAÇÃO/PMS

O racismo estrutural sofrido pelo negro e a luta pelo cumprimento dos direitos humanos foram reflexões levadas à tradicional homenagem ao herói afro-brasileiro Zumbi dos Palmares, nesta sexta-feira (20), na Praça Palmares (Macuco). A cerimônia, que recordou os 325 anos da morte do ícone da resistência pela liberdade e igualdade racial, marcou o Dia da Consciência Negra em Santos.  

A celebração reuniu autoridades municipais, representantes de religiões de matrizes africanas e de outras entidades, respeitando as medidas de prevenção à covid-19. Teve hino Nacional pela voz da cantora Simone Anselmo ao som de berimbau e pandeiro, tocados pelas mãos de capoeiristas do mestre Cícero, reverenciando a cultura afrodescendente brasileira. 
Também foram entoados os hinos da Cidade e da Negritude. A tradicional deposição de flores junto ao busto de Zumbi do Palmares contou com o som de atabaques; apresentação de capoeira dos mestres Cicero e Sombra; e cerimônia religiosa Xirê, pelo babalorixá Marcelo de Logunedé. 

“Este é um momento de reflexão, principalmente pelo contexto em que vivemos no Estado brasileiro. Todos nós precisamos avançar para uma sociedade com mais igualdade”, afirmou o vice-prefeito Sandoval Soares.  

 

Diná Elizabeth Evangelista Santos, presidente do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra e de Promoção da Igualdade Racial, lembrou do homem negro espancado e morto na noite de quinta (19) em um supermercado de Porto Alegre (RS). 
 
 “Precisamos acabar com isso no seio de nossa sociedade. O direito à vida é um direito de todos. Em pleno século 21, isso não pode acontecer. Esse que tombou é mais um entre os centenas que tombam. Hoje é um dia de pensar nos avanços e nos retrocessos que tivemos”.

O secretário de Desenvolvimento Social, Carlos Mota, ressaltou que “a gente tenha a coragem de Zumbi para construir uma Cidade e um país cada vez melhor”. Já a coordenadora de Igualdade Racial e Étnica (Copire), Carla Mércia Barbosa, disse que “estamos aqui hoje para honrar nossa ancestralidade, homenageando o grande homem brasileiro que começou uma grande resistência a ponto de ser lembrado”.

PROGRAMAÇÃO - O evento foi promovido pela Prefeitura, por meio da Copire, e Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Santos. Confira a programação completa aqui (https://www.santos.sp.gov.br/?q=hotsite/mes-da-consciencia-negra).