X

SANTOS

Reeducando usa dom do desenho para ilustrar mural na Zona Noroeste de Santos

Levou quase 30 dias para concluir a obra no mural que fica entre as duas comunidades, na Rua Brigadeiro Faria Lima

Da Reportagem

Publicado em 13/03/2023 às 19:37

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Mural com 150 metros de comprimento homenageia as comunidades Vila Telma e Última Ponte / fotos: Carlos Nogueira e Francisco Arrais

As comunidades Vila Telma e Última Ponte, no Rádio Clube, ficaram mais coloridas na última sexta-feira (10): um muro de 150 metros de comprimento, pertencente à Congregação das Missionárias da Caridade, foi ilustrado por dezenas de desenhos em grafite pelas mãos de um reeducando que atua no setor de Pintura e Conservação da Prefeitura Regional da Zona Noroeste.

Renato Sousa, 41 anos, levou quase 30 dias para concluir a obra no mural que fica entre as duas comunidades, na Rua Brigadeiro Faria Lima, próximo à via Professor Nelson Espíndola Lobato. Entre as ilustrações que deram fim ao antigo ponto de descarte irregular, há símbolos que remetem a Santos como o bonde, um navio e a escultura do Peixe, situada na entrada da Cidade, além do monumento “Eu amo a Zona Noroeste”.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

“A comunidade pediu melhorias neste local e nós atendemos trazendo o Renato. A arte inibe as pessoas de queimar objetos e de jogar lixo aqui, e não pichar por cima dos desenhos. Eles acabam respeitando e a comunidade tem elogiado bastante”, disse o assessor técnico da Prefeitura Regional responsável pela equipe de reeducandos, Aleksandro Gonçalves Santana.

A fauna típica da região também está presente na obra, com a garça e caranguejo. Igualmente presente nas localidades, o futebol não poderia ficar de fora, e por isso foi lembrado pelos escudos dos times de várzea das comunidades e por uma homenagem ao Rei Pelé - também aludindo à vila vizinha, que leva o nome do craque.

Desenhos sentimentais e religiosos acabaram surgindo ao longo do trabalho, pelo imaginário do próprio Renato e a pedido dos moradores: o reeducando reproduziu a imagem de uma mãe segurando um bebê, que viu em um folheto de igreja, e criou a imagem de duas santas, uma por sugestão de uma moradora e outra solicitada pelas irmãs da própria Congregação das Missionárias da Caridade.

Até mesmo um dos moradores mais ilustres do bairro foi impresso na obra: Aparecido Fausto Marcelino (foto abaixo), famoso pelo negócio apelidado de “Pipoca da Xuxa”, após ter vendido a guloseima à Rainha dos Baixinhos. No ramo há 40 anos, ganhou um retrato junto de seu fiel escudeiro, o carrinho de pipoca.

“Essa iniciativa é importante no sentido de dar vida ao local, de valorizar os elementos e as pessoas da comunidade e promover esse regresso do reeducando à sociedade. Nosso objetivo é a inclusão e que eles saiam daqui preparados para o campo de trabalho, o que já tem acontecido”, afirmou o técnico Aleksandro.

RESSOCIALIZAÇÃO

Enquanto o muro era grafitado, Renato Sousa ouviu muitos elogios dos moradores que passavam pelo local. As crianças que brincavam por perto também se interessavam pelas cores e técnicas utilizadas pelo artista e o rodeavam fazendo perguntas e querendo ajudar. Para o reeducando, essa foi uma das melhores partes do trabalho.

“É muito gratificante você ver a sua arte exposta e a população gostando. As pessoas passam, te agradecem, te servem um café, te oferecem um sorriso. Isso é muito importante porque na cela a gente se vê privado e, do nada, está de novo no ‘mundão’, interagindo novamente com as pessoas”, afirmou Renato.

Prestes a ganhar liberdade, o artista que se dedicou sete horas por dia ao grande mural se vê no caminho da arte, aptidão que conheceu no presídio. “Eu aprendi a desenhar lá, porque fazia tatuagens nos meus colegas de cela, e também aprendi um pouco sobre fotografia, porque os ajudava a fazer fotos para mandar para os familiares”, explicou o reeducando.

Na Prefeitura, o artista iniciou pintando guias e sarjetas. Quando comentou sobre seu dom, passou a executar serviços mais criativos, como o projeto Portais das Comunidades, no qual grafitou 11 dos monumentos ‘Mureta’, localizados nas entradas das comunidades da Zona Noroeste.

“Quando eu sair, terei várias possibilidades. Além dessa experiência com o grafite, também tenho curso de pintura residencial, então posso ir para essa área, assim como posso comprar uma maquininha e abrir um estúdio de tatuagem”, planeja Renato. 

REEDUCANDOS

O projeto Reeducandos é um convênio da Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Serviços Públicos (Seserp), com a Fundação de Amparo ao Preso (Funap). A iniciativa emprega 260 apenados do regime semiaberto do Centro de Progressão Penitenciária (CPP), de São Vicente. O objetivo da ação, que faz parte do programa municipal 'Santos Mais Bonita', é reforçar os serviços de zeladoria da Cidade ao mesmo tempo em que oferece experiência de trabalho e qualificação para a busca de novos caminhos quando da conquista da liberdade. 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Geopolítica em choque! Presidente do Irã morre em acidente de helicóptero

Além do líder político, outras oito pessoas vieram a óbito por conta da queda

Mongaguá

Suspeito de participação no 'Tribunal do Crime' é preso em Mongaguá

Homem teria ligação com o Primeiro Comando da Capital

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter