Praça da República terá melhora na acessibilidade

Os trabalhos estão concentrados na primeira parte da praça.

Comentar
Compartilhar
10 NOV 2019Por Da Reportagem05h10
A Praça da República faz parte do circuito de visitação histórica e tem no seu entorno e arredores vários bens tombados.Foto: DIVULGAÇÃO/PREFEITURA DE SANTOS

Uma obra do tamanho da importância histórica da praça de cinco mil metros quadrados no Centro Histórico de Santos. Assim é a reurbanização em andamento na Praça da República. O projeto prevê melhorias de acessibilidade, nos acessos aos meios de transporte que chegam e partem do local e na distribuição dos espaços.

Os trabalhos estão concentrados na primeira parte da praça. "O terreno foi preparado e o piso regularizado, com assentamento das guias", diz o arquiteto Roger Guerra, da pasta de Infraestrutura e Edificações. "Os próximos serviços são a instalação de faixas de granito e execução do concreto desempenado, de acordo com o layout do projeto".

A praça vai ganhar modernos passeios em concreto, nivelados e padronizados, rampas de acessibilidade e pisos táteis. A estátua em homenagem a Braz Cubas receberá serviços de conservação e novos bancos e lixeiras serão redistribuídos para assegurar caminhos acessíveis. O espaço também será preparado para incorporar a futura estação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A reurbanização da Praça da República faz parte do programa Novo Centro Velho.

A modernização da praça está inserida em um conjunto de serviços de conservação e restauro orçado em R$ 44 milhões para revitalizar prédios públicos do Centro Histórico de Santos: Teatro Guarany, Casa do Trem Bélico, Outeiro de Santa Catarina, Casa da Frontaria Azulejada, Armazém de Bagagens, Rodoviária Municipal, Teatro Coliseu, Arquivo Histórico Municipal e escadaria do Monte Serrat e do Mosteiro do São Bento. Além das obras públicas, o programa conta com novos incentivos fiscais para recuperação de imóveis particulares.

INTEGRAÇÃO

Atualmente, a praça tem diversos recantos que, em função de alterações e ampliações ao longo do tempo, não apresentam ligações adequadas entre si, nem acompanham as diretrizes de acessibilidade e padronização adotadas pela Prefeitura de Santos.