Por risco à saúde, Lar de Idosos localizado em Santos é multado em R$ 28 mil

A inspeção ocorreu no fim da tarde de quarta-feira (16)

Comentar
Compartilhar
18 JUN 2021Por Da Reportagem12h00
Profissionais detectaram falta de higiene, limpeza, organização, manutenção, de estrutura e operacionalProfissionais detectaram falta de higiene, limpeza, organização, manutenção, de estrutura e operacionalFoto: Divulgação / Prefeitura de Santos

Risco à saúde dos idosos. Essa é a conclusão do auto de infração elaborado por fiscais de Saúde, da Seção de Vigilância Sanitária (Sevisa) de Santos, ao aplicarem multa de R$ 28 mil a uma instituição de longa permanência de idosos (ILPI) situada na Vila Belmiro.

A inspeção ocorreu no fim da tarde de quarta-feira (16). Eles detectaram falta de higiene, limpeza, organização, manutenção, de estrutura e operacional. Entre outras irregularidades estavam a falta de medicação em caixa de administração (conforme prescrições médicas) e ausência de cardápio. A lavanderia estava em local impróprio, com armazenamento inadequado das roupas, lençóis e cobertas dos residentes. Também foi verificado que os alimentos estavam mal acondicionados, e um banheiro, sem porta.

"É um absurdo o que encontramos nessa ILPI. Seguiremos com a conduta rigorosa da Vigilância Sanitária junto a esses estabelecimentos visando proteger e proporcionar mais segurança às pessoas e familiares de idosos e das pessoas que trabalham com esse público mais vulnerável. Os responsáveis não podem ficar impunes", comentou a chefe do Departamento de Vigilância em Saúde de Santos, Ana Paula Viveiros Valeiras.

Dentre as várias observações higiênicas e sanitárias, a Vigilância Sanitária está atenta também quanto à atividade prestada pela instituição. "Os serviços vendidos aos idosos devem ser condizentes às atividades comerciais contidas no alvará de licença e os imóveis devem apresentar estrutura física e atendimentos adequados, conforme prescreve a legislação", explicou a chefe da Vigilância em Saúde, Luciane Valente.

Chefe técnico da Vigilância Sanitária, Armando Proença ressalta que o setor tem como conduta principal orientar os proprietários de estabelecimentos a cumprirem as normas sanitárias, já que a condição de alguns lares de idosos tem ferido a dignidade humana. "Seguiremos realizando o trabalho para zelar por esta representativa parcela da sociedade".

PODE RECORRER.
Embora os fiscais tenham encontrado essas irregularidades, o local, que abriga cerca de 30 idosos, não foi interditado de imediato devido a questões administrativas. Uma nova fiscalização da Vigilância Sanitária será realizada nos próximos dias. O responsável pelo lar de idosos tem prazo de 30 dias para recorrer da autuação. Denúncias sobre irregularidades em estabelecimentos comerciais e de serviços devem ser feitas na Ouvidoria Municipal (telefone 162).