População reclama de mau cheiro no Centro de Santos

Apesar de ainda não haver confirmação, é provável que o odor seja do descarte irregular de dejetos dos animais transportados vivos pelo Porto

Comentar
Compartilhar
01 FEV 2018Por Caroline Souza09h40
Apesar de ainda não haver confirmação, é provável que o odor seja do descarte irregular de dejetos dos animais transportados vivos pelo PortoFoto: Reprodução/Facebook

O mau cheiro no Centro de Santos está incomodando a população que trabalha e circula diariamente pelo local. Apesar de ainda não haver confirmação, é provável que o odor seja do descarte irregular de dejetos dos animais transportados vivos pelo Porto.

No último dia 30, a Secretaria de Meio Ambiente (Semam) multou em R$ 1.469.118,00 a empresa que realiza o transporte de gado.

“Sentimos um cheiro muito forte de urina e, inicialmente, achei que era por conta dos moradores de rua que dormem na porta do estabelecimento”, afirmou a gerente de um restaurante, Cristiane Dias. “Depois, os clientes me contaram que era dos bois”, complementou. De acordo com Cristiane, a maior parte dos clientes trabalha próximo ao restaurante e contam que, mesmo nos escritórios com janelas fechadas, o odor está forte.

Manuela Souza, proprietária de uma lanchonete, disse que começou a sentir o cheiro forte ontem, mas não ouviu ninguém falando nada, então pensou que estivesse exagerando. “Hoje conversei com meu marido e ele já sabia do que se tratava”, relatou. Em tom de ironia, o marido de Manuela disse: “a gente sempre sente cheiro de maresia e agora veio esse de urina e esterco para mudar um pouco”.

Os fiscais da Semam estão cientes do cheiro e têm percorrido diversos locais de Santos para ter a confirmação se o motivo é ou não por conta do transporte de gados. “Hoje eles vão embora e vamos manter os fiscais por mais um ou dois dias para verificar se o cheiro permanece. Provavelmente até o fim desta semana teremos uma posição”, explicou o coordenador de políticas ambientais da Semam, Marcus Fernandes.

Um dos motivos da multa aplicada à empresa transportadora dos animais é o despejo de dejetos animais em vias públicas. “Fizemos uma força-tarefa que fiscalizou dezenas de carretas e não existia nenhum sistema para deter os dejetos, logo estão sendo despejados nas vias públicas”, comentou Fernandes. Dessa forma, os dejetos vão para os canais e para o mar, contaminando a rede de drenagem.

A empresa também foi autuada por maus tratos, pois havia um número excessivo de animais nas carretas e um péssimo sistema de ventilação. “Eles vieram para Santos sem o mínimo de preparo, realizando crime ambiental. Ou eles se adequam às normas ou vão continuar sendo multados”, finalizou o ­coordenador.