Pontilhões dos canais 2, 4 e 5 serão reconstruídos

Os novos pontilhões somam-se a 15 pontes entregues desde 2013 e outras quatro em obras, totalizando 22 novas estruturas que trazem benefícios para 15 bairros

Comentar
Compartilhar
27 JUN 2017Por Da Reportagem20h30
A Prefeitura vai reconstruir três novos pontilhõesFoto: Divulgação/PMS

 A Prefeitura de Santos vai reconstruir três novos pontilhões nos bairros Pompeia, Macuco e Embaré, sobre os canais 2, 4 e 5.

As pontes da Avenida Bernardino de Campos x Rua República Argentina, Avenida Siqueira Campos x Rua Rodrigo Silva e Avenida Almirante Cochrane x Avenida Afonso Pena serão demolidas, dando lugar às novas, em prazo que deve variar de três a quatro meses cada. A obra tem custo estimado em R$ 1,4 milhão, recursos do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos, saldo remanescente de 2013.

Os novos pontilhões somam-se a 15 pontes entregues desde 2013 e outras quatro em obras, totalizando 22 novas estruturas que trazem benefícios para 15 bairros: Ponta da Praia, José Menino, Campo Grande, Vila Belmiro, Macuco, Estuário, Embaré, Boqueirão, Pompeia, Gonzaga, Aparecida e, na Zona Noroeste, São Jorge, Bom Retiro, Santa Maria e Rádio Clube.

Segurança

As obras dos pontilhões visam modernizar e ampliar em 80% a capacidade de carga das estruturas construídas, em sua maioria, há mais de 50 anos e desgastadas pela ação do tempo. Os novos pontilhões têm capacidade de carga de 45 toneladas (os antigos suportam 25 toneladas), oferecendo mais segurança a motoristas e pedestres.

Santos conta atualmente com 175 pontilhões. A Prefeitura mantém um monitoramento constante e efetua as manutenções de rotina. A maioria foi construída na década de 1960 e vem sofrendo as ações do tempo. Quando o custo da manutenção atinge o preço de uma ponte nova, opta-se pela reconstrução.

Cronograma

A Prefeitura vai estudar juntamente com a empresa vencedora da licitação e a CET a melhor maneira de executar os serviços, a fim de que haja o mínimo impacto possível no trânsito da cidade. Os serviços serão gerenciados pela Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi).

O edital da licitação para contratação de empresa que fará a obra foi publicado no Diário Oficial do dia 23. Caso a licitação siga sem intercorrências de recursos, a estimativa é que a homologação do vencedor ocorra dentro de um mês, ou seja, no final de agosto. Desta maneira, a primeira obra deve começar em setembro.