Pandemia: Prefeito de Santos confirma que município acatará recomendações do Estado

Rogério Santos diz que o município publicará um decreto próprio na segunda-feira (25), mas ele seguirá as diretrizes já estipuladas pelo Governo Doria

Comentar
Compartilhar
22 JAN 2021Por LG Rodrigues18h48
O prefeito de Santos, Rogério Santos, afirma que irá acatar recomendações do Governo do EstadoFoto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

O prefeito de Santos afirma que o município irá acatar as recomendações do Governo do Estado que foram divulgadas durante o começo da tarde desta sexta-feira (22) pelo governador João Doria (PSDB) durante entrevista coletiva concedida no Palácio dos Bandeirantes. Com isso, a cidade fechará todas as atividades consideradas não essenciais a partir das 20h de todos os dias e Santos voltará a seguir, durante as manhãs e tardes, as medidas impostas a regiões que se encontram na Zona Laranja do Plano SP, que é o caso atual da Baixada Santista.

Em entrevista realizada no começo da noite desta sexta, Rogério Santos (PSDB) afirmou que acompanhou a coletiva de João Doria e reconheceu que a Região tem um dos quadros mais graves em questão de mortes por 100 mil habitantes, sendo o terceiro local com a pior situação, atrás apenas de Araçatuba e São José do Rio Preto.

"Tivemos nos últimos 14 dias um aumento preocupante. São 113 óbitos em 28 dias e o crescimento de 48% dos casos. Tudo isso levou para que infelizmente nossa cidade, assim como outras da Região, fossemos levados à Fase Laranja. Recebiu hoje ofício da Procuradoria Geral da Justiça para que sigamos o decreto estadual. Por isso, cabe a mim dizer que iremos seguir o decreto. Estamos na fase laranja e faremos um decreto municipal adequeado ao que o Estado publicar", afirmou o prefeito.

Durante as últimas semanas de 2020 e os primeiros dias de 2021, as autoridades estaduais criticaram os governos municipais do litoral paulista que decidiram ignorar a ordem de adequar as rotinas das cidades à Zona Vermelha no período de festas de Natal e Réveillon e insinuaram que poderiam levar os casos ao Ministério Público no caso de reincidência.

"Nenhum governante gosta dessa situação, não é apenas uma questão de dizer que voltamos, regredimos de fase, mas a maior situação é justamente a perda de pessoas em nossa cidade. Pessoas que estão em risco e ocupando as UTIs da nossa cidade. Alguns municípios da nossa região já têm suas UTIs lotadas e isso nos preocupa muito. Não podemos repetir erros de outras pessoas, de outros locais que não tomaram as medidas preventivas, não podemos porque lamentar não adianta. Vamos sim seguir o decreto. Lógico que é um prejuízo econômico para nossa cidade, mas a eceonomia a gente corre atrás e as vidas estão sempre acima de tudo", conclui.

Santos, São Vicente, Praia Grande, Guarujá, Bertioga, Cubatão, Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe entram na Zona Laranja do Plano SP a partir de segunda-feira (25).