Ocorrências de colisões contra postes crescem

Santos, São Vicente e Cubatão tiveram aumento no número de casos de falta de energia por colisões

Comentar
Compartilhar
16 OUT 2019Por Caroline Souza09h50
A cidade de Santos teve um crescimento de 55,5% no número de colisões de veículos contra postesFoto: RODRIGO MONTALDI/ARQUIVO DIÁRIO DO LITORAL

Santos, São Vicente e Cubatão tiveram aumento no número de ocorrências de falta de energia causadas por colisão contra postes, segundo dados fornecidos pela CPFL Piratininga. Os números referem-se aos oito primeiros meses do ano em comparação com o mesmo período de 2018. Apesar do aumento das colisões, o número total de clientes afetados pelas interrupções diminuiu.

Já as cidades de Praia Grande e Guarujá apresentaram queda do mesmo tipo de ocorrência. Na Baixada Santista, a distribuidora atua nas cinco cidades citadas.

Percentualmente, Cubatão é o município que apresentou o maior aumento de colisões de veículos contra postes: 230%. Santos teve um crescimento de 55,5% e São Vicente de 9,4%.

Em números absolutos, Santos aparece na frente, com 42 episódios de falta de energia por conta de colisões em 2019, contra 27 em 2018. Cubatão registrou 33 ocorrências este ano e dez no mesmo período do ano passado. Já São Vicente passou de 32 para 35 casos.

Em Praia Grande, os acidentes diminuíram de 17 para 12 (29,4%). Guarujá registrou um ocorrência a menos neste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior (14,3%).

Em relação à região, o gerente de Saúde e Segurança da CPFL Energia, Marcos Victor Lopes, destaca: "a quantidade de ocorrências de colisão com postes é um reflexo da alta imprudência nas vias. A intenção da CPFL Piratininga é alertar a população, não somente para os danos à rede elétrica, mas também à segurança da própria vida e a de terceiros".

POPULAÇÃO AFETADA.

A quantidade de clientes afetados com a falta de energia provocada pelas colisões contra postes da distribuidora diminuiu quando comparada com 2018. Foram 45.218 mil unidades consumidoras sem energia entre janeiro e agosto de 2019, número 8% menor em relação aos 49.155 clientes desligados no mesmo período de 2018.

Individualmente, Praia Grande foi a cidade com mais clientes afetados, passando de 24.631 no ano passado para 21.711 em 2019.

Apesar de menor em números absolutos, a quantidade de clientes afetados em Cubatão saltou de 126 em 2018 para 2.643 neste ano. O aumento na quantidade de clientes afetados se explica pelo fato de que as colisões contra postes, muitas vezes, causam danos de grandes dimensões. Quando isso ocorre, a CPFL Piratininga precisa reconstruir a rede elétrica no local atingido, com a substituição do poste afetado.

Santos teve uma redução de 13.352 para 11.614 consumidores sem energia; São Vicente passou de 10.627 para 9.244; e Guarujá de 419 para seis.