X

Santos

Obras de contenção em morro de Santos irão interditar pista no fim de semana

A obra de contenção é a segunda intervenção no mesmo trecho, a primeira foi executada da pista para cima

Da Reportagem

Publicado em 01/03/2024 às 17:22

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Os serviços de drenagem envolvem escadas hidráulicas que já foram executadas, caixas de drenagem e canaletas / Divulgação/PMS

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

Neste sábado (2) e domingo (3) a Alameda Prefeito José Gomes, entre a Rua Torquato Dias e a Praça Maria Mercedes Féa, em Santos, será totalmente interditada entre as 7h e 19h. O motivo se dá para a interligação de rede de drenagem, sob fiscalização da Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi).

A rota alternativa para quem utiliza a via no sentido Zona Leste/Zona Noroeste é Av. Martins Fontes e depois Av. Nossa Senhora de Fátima. Já quem vai no sentido contrário, Zona Noroeste/Zona Leste, deve transitar pela Av. Nossa Senhora de Fátima e, na sequência, Av. Martins Fontes. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos) vai monitorar o trânsito na área e as informações estarão também no aplicativo Waze.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

A Alameda Prefeito José Gomes passa pelo Morro Cachoeira e termina no bairro Caneleira, na Zona Noroeste de Santos. Parte integrante do sistema de interligação entre a Zona Leste e Zona Noroeste da Cidade pelos morros, é continuação da Rua Torquato Dias e uma das principais vias do Morro da Nova Cintra.

A obra de contenção é a segunda intervenção no mesmo trecho, a primeira foi executada da pista para cima. A intervenção atual, complementar à primeira, ocorre da pista para baixo. O objetivo é garantir a segurança no morro santista, beneficiando tanto os moradores como quem transita pelo local.

Obras da nova policlínica em morro de Santos começarão em abril

DRENAGEM

Os serviços de drenagem envolvem escadas hidráulicas que já foram executadas, caixas de drenagem e canaletas. Segundo informação do fiscal da obra, engenheiro Eduardo Aguiar Mendes, a interdição é necessária para interligar as caixas de drenagem aos bueiros da via, serviço que envolve demolição de asfalto.

Paralelamente é executada a canaleta de drenagem margeando toda a extensão da via e são recuperadas as muretas do passeio de pedestres. O objetivo é que as águas das chuvas sejam conduzidas pelo sistema até atingir o pé do morro, onde serão integradas à rede pluvial.

SOLO GRAMPEADO

Na contenção da encosta foi utilizada a técnica de solo grampeado, com reforço de contenção em quatro pontos específicos, distribuídos no talude ao longo da Alameda. Foram construídos quatro muros de contenção, em pontos específicos da encosta, distribuídos no talude para baixo, margeando a Alameda.

PRIMEIRA OBRA

Na parte superior da encosta do Morro Cachoeira, da avenida para cima, foi executada a primeira obra, também com a técnica de engenharia do solo grampeado. Os serviços incluíram perfuração e instalação de grampos (barras de aço) e colocação de drenos. Em parte da encosta foi aplicado o concreto projetado e, no restante, uma geomanta flexível com grama, específica para taludes, o que facilita o crescimento da vegetação.

Com o objetivo de resolver problemas de drenagem no primeiro trecho de encosta da Alameda Prefeito José Gomes, foi projetada uma escada hidráulica. O dispositivo conduz e diminui a velocidade de descida das águas em dias de chuva, impedindo a erosão do solo e, consequentemente, o risco de deslizamento. A intervenção incluiu ainda valetas e canaletas, além dos drenos horizontais profundos que retiraram o excesso de água no interior do morro, aliviando a pressão sobre a encosta.

Nas duas obras, gerenciadas pela Siedi, são empregados R$ 6,9 milhões. A primeira obra tem custo de R$ 3,1 milhões e a segunda, R$ 3,8 milhões. São recursos de financiamento realizados junto à Caixa Econômica Federal, por meio da linha de crédito dedicada a Infraestrutura e Saneamento, na Modalidade Apoio Financeiro (Finisa).

SANTOS MAIS BONITA

A obra em execução e a obra finalizada no Morro Cachoeira fazem parte do Programa Santos Mais Bonita, que prevê um investimento de R$ 100 milhões nos morros em obras de segurança, acessibilidade e zeladoria como contenção e drenagem, pavimentação de ruas, manutenção de escadarias, entre outras melhorias. Estão inseridas em um conjunto de intervenções orientadas pela Defesa Civil que elaborou um detalhado mapeamento das áreas afetadas pelas chuvas em 2 e 3 de março de 2020, quando o acumulado de chuvas em Santos atingiu o maior pico dos últimos 80 anos (à época).

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CAMPEONATO BRASILEIRO

Carpini fora? São Paulo perde no MorumBIS para o Fortaleza na estreia do Brasileirão

Treinador saiu vaiado pela torcida e cantos de "burro" chegaram a ser ouvidos vindos da arquibancada

SAÍDA CONTURBADA

Neymar foi dispensado pessoalmente por técnico do PSG, afirma jornal

Treinador trabalhou com Neymar durante três anos, quando comandou o Barcelona; em julho de 2023 se encontraram no PSG

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter