X
Santos

Obra habitacional Tancredo Neves III segue sem prazo para terminar

Das 2.240 unidades, 1.120 serão destinadas a Santos, mas a obra segue sem prazo de retomada

Do lado de Santos o que se vê são apenas restos de estruturas metálicas enferrujadas e a lembrança das pessoas que ainda esperam por um novo lar / Rodrigo Montaldi/DL

O conjunto habitacional Tancredo Neves III, embora situado em bairro vicentino, dividiu as 2.240 unidades entre as cidades de São Vicente e Santos, contemplando cada uma com 1.120 apartamentos. No primeiro município, quem toca o projeto é o programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal e no segundo, as obras estão por conta da Cohab Santista.

A Reportagem esteve no local para verificar o andamento das obras. Do lado de Santos, o que se vê são apenas restos de estruturas metálicas enferrujadas, tapumes prestes a cair, água parada e a lembrança das pessoas que ainda esperam em condições sub-humanas por um novo lar.

“O único expediente aqui é dos porteiros. Mesmo assim está difícil ficar na cabine porque cortaram a água, a luz e tem muito foco de dengue nessas poças dentro das escavações”, explica o vizinho da obra, Luciano Afonso da Silva. 

O deficit habitacional do município, de acordo com o censo do IBGE é de aproximadamente 10 mil unidades. A entrega dos 1.120 apartamentos programados para o Tancredo III poderia mudar a situação de pelo menos cinco mil pessoas, porém segue sem previsão.

Questionada, a Prefeitura de Santos respondeu que a obra foi iniciada, mas está em fase de migração para o programa Minha Casa Minha Vida. “Análises estão sendo finalizadas pela CAIXA e em fevereiro o banco enviará toda a documentação para o Ministério das Cidades. Assim que tivermos o retorno dele informaremos o prazo”, explicou em nota.

Informou também que a Cohab Santista tem dado andamento às obras dos Conjuntos Caneleira 4, que contará com 200 unidades e Santos T, com 133 unidades - as duas com prazo de entrega ainda neste ano. O Santos O, com 205 unidades e o Santos R, com 326 unidades, tem o prazo de entrega parcial entre 2017 e final de 2018. Serão beneficiadas as famílias de acordo com a política habitacional do município.

Em São Vicente, prazo de entrega do Tancredo III é adiado

De longe, as obras do conjunto habitacional Tancredo Neves voltadas a São Vicente parecem adiantadas. Os prédios estão praticamente prontos, mas a parte de infraestrutura que cabe à Prefeitura de São Vicente, não. As primeiras unidades tinham prazo para entrega em junho do ano passado, porém, segue agora para o segundo semestre de 2017. 

“São dois contratos, ou seja, levantar os prédios é responsabilidade da Caixa, já a infraestrutura como a pavimentação das ruas do conjunto, água, esgoto e drenagem ficam por conta da prefeitura”, explica Marcelo Moreto, engenheiro responsável pela obra da Caixa no lado de São Vicente. 

A obra não está parada, mas segundo informação dos funcionários, a rede de esgoto foi retomada a cerca de 20 dias, com o início do novo mandato. De acordo com Marcelo, 90 funcionários trabalham no local, de segunda a sábado, das 7 às 17h. O lote 17 é o mais adiantado, com 99% da obra pronta. “Essa unidade já poderia ser inaugurada, mas sem asfalto, água, luz não tem como”, explica o engenheiro.

Segundo o Plano Local de Habitação de Interesse Social do Município, elaborado em 2009, o déficit do município fica em torno de 20 mil moradias.

Por meio de nota, a Secretaria de Habitação da cidade informou que trabalha para acelerar a conclusão das obras de infraestrutura do complexo. A expectativa é atender em torno de 4,5 mil pessoas residentes em áreas de risco.

Além do Tancredo Neves III, encontra-se em construção no Município o Conjunto Habitacional da CDHU São Vicente H1, H2, e H3, e o Conjunto Primavera/Penedo.

Primavera Penedo. Embora adiantado em 95%, o conjunto não tem previsão de entrega. Segundo a Administração, ele é de responsabilidade da Caixa Econômica Federal, com recursos do Governo do Estado.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Queiroga descarta antecipar 3ª dose; OMS vê risco de avanço da variante Ômicron

Para o ministro da Saúde, a variante Ômicron do coronavírus, descoberta na África do Sul, não será diferente de outras já identificadas

Esportes

Messi bate Lewandowski e ganha a Bola de Ouro; Neymar foi o 16º

Com o sétimo troféu, o craque argentino ampliou sua hegemonia como o maior vencedor da premiação

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software