Mutirão visita 1,2 mil imóveis e elimina 40 focos na Zona Noroeste de Santos

Este ano, Santos registra 13 casos de chikungunya e 11 casos de dengue

Comentar
Compartilhar
24 FEV 2021Por Da Reportagem21h45
Nenhum caso de zika é registrado desde 2019, e o último caso de febre amarela urbana no Brasil é da década de 1940Nenhum caso de zika é registrado desde 2019, e o último caso de febre amarela urbana no Brasil é da década de 1940Foto: Divulgação / Prefeitura de Santos

Quarenta focos com larvas do mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela urbana) foram eliminados nesta quarta-feira (24) no Castelo. A ação foi realizada por 96 agentes de controle de endemias da Secretaria Municipal de Saúde.

Um total de 1.235 imóveis do bairro foi vistoriado pelo grupo. Os focos com larvas do mosquito foram encontrados em ralos, baldes e potes expostos à chuva.

Somando com as sete ações anteriores realizadas este ano, os mutirões eliminaram 799 focos com larvas. As seis primeiras ações de 2021 se concentraram nos bairros da orla em função do fluxo de turistas na Cidade.

Este ano, Santos registra 13 casos de chikungunya e 11 casos de dengue. Nenhum caso de zika é registrado desde 2019, e o último caso de febre amarela urbana no Brasil é da década de 1940.