X

Santos

Mutirão contra o Aedes vistoria mais de 2 mil imóveis em dois bairros de Santos

Foi a primeira atividade de 2023 de prevenção a dengue e outras doenças causadas pelo mosquito como zika, chikungunya e a febre amarela urbana

Da Reportagem

Publicado em 07/01/2023 às 21:04

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Ao todo, mais de 2 mil imóveis foram vistoriados / Divulgação/PMS

Fazer uma varredura completa, buscando vistoriar todos os endereços dos bairros José Menino e Pompéia, no combate ao Aedes Aegypti. Esse foi o objetivo do mutirão iniciado na última quarta-feira e finalizado neste sábado (7) pela Secretaria de Saúde de Santos (SMS). Foi a primeira atividade de 2023 de prevenção a dengue e outras doenças causadas pelo mosquito como zika, chikungunya e a febre amarela urbana.

Ao todo, mais de 2 mil imóveis foram vistoriados nos dois bairros e 87 focos com larvas foram eliminados. Eles foram encontrados em locais como ralos externos, piscinas, baldes e pratos de plantas.

Neste sábado, 40 agentes participaram da ação, visitando endereços onde não foi possível fazer a inspeção, pois os moradores não estavam presentes. Por ser final de semana, acaba sendo mais fácil encontrar o proprietário do imóvel e realizar a vistoria.

As atividades começaram na Praça do Surfista, no Posto 2, na orla da Pompeia. Foram vistoriados imóveis residenciais e comerciais da região, sempre em busca de focos de larvas de mosquitos, criadouros em diferentes fases de desenvolvimento antes da fase adulta (ovo, larva e pupa) e espaços com potencial para geração e procriação do inseto.

DEVER DE TODOS

Para o aposentado José Pereira de Oliveira, que teve a casa visitada pelos agentes neste sábado, é dever de todos os munícipes evitar que o mosquito se alastre. “Essa abordagem nas residências é fundamental, é só benefício para os moradores, pois eles precisam ser orientados sobre o que pode gerar focos de proliferação do mosquito”.

O pedreiro Irênio Moura do Nascimento fez questão de receber os agentes em casa e já programou algumas melhorias na infraestrutura do imóvel para evitar que a água fique represada nos ralos. Para ele, esse tipo de ação auxilia demais a população. “Aqui podem vir na hora que quiserem, pois o importante é evitar que essa doença avance"

COMBATE AO AEDES EM SANTOS

No ano passado, a Cidade realizou 26 mutirões de combate ao Aedes aegypti, fazendo a vistoria de 55.249 imóveis de diversos bairros e eliminando 1.546 focos de larvas de mosquitos. A Secove ainda promoveu ações em pontos estratégicos, com 1.447 vistorias em locais cadastrados com fortes indícios da presença do inseto, como borracharias, ferros-velhos e pátios de veículos.

As atividades promovidas em imóveis especiais, de larga escala e alta circulação de pessoas, totalizaram 6.126 inspeções em espaços como universidades e shopping centers, por exemplo, e as visitas casa a casa, realizadas a cada três meses, resultaram em 149.778 residências vistoriadas.

Em 2022, Santos registrou 353 casos de dengue e 303 de chikungunya (dados provisórios), uma diminuição de 92% e 95% em relação ao ano anterior, quando foram registrados 4.461 e 7.373 casos das doenças, respectivamente. Além disso, o Município não teve nenhuma morte por arbovirose (doenças disseminadas pelo Aedes aegypti).

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Diário Mais

Mau presságio? Branqueamento de corais pode ser sinal da morte dos oceanos; entenda

Estruturas são a base do Oceano

Nacional

Não perca as contas: você sabe quantas vezes o cantor Fábio Jr. se casou?

A lista é bem extensa e pode confundir os fãs

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter