CAMPANHA DE 1 A 11

Moradoras de Santos com suspeita de coronavírus são isoladas em seus domicílios

De acordo com o relatado pelas pacientes, elas não tiveram febre, mas foram submetidas a exames

Comentar
Compartilhar
26 FEV 2020Por Da Reportagem11h26
Santistas deverão permanecer em suas residências e utilizar máscarasFoto: Divulgação / Prefeitura de Santos

A Vigilância em Saúde de Santos informou por meio de suas redes sociais no fim da manhã desta quarta-feira (26) que foi notificada pela Vigilância Epidemiológica do Estado sobre dois possíveis casos suspeitos para o novo coronavírus (COVID-19). De acordo com as autoridades, mãe e filha, que são moradoras de Santos, chegaram da Itália no último dia 21e foram submetidas a exames. Os resultados serão divulgados em até cinco dias.

As pacientes em questão possuem 74 anos e 30 anos de idade. Nesta mesma quarta-feira, elas passaram por consultas e exames com médicos da rede pública, tendo sido coletadas amostras (nasofaringe) para envio ao Instituto Adolfo Lutz, laboratório estadual referência para o diagnóstico ou descarte da doença.

De acordo com o relatado pelas pacientes, elas não tiveram febre, tendo uma delas coriza e a outra coriza, dor de garganta e dor de cabeça. Ambas passam bem e não têm recomendação para internação hospitalar, mas, de forma preventiva, foram orientadas para o uso de máscaras de proteção e estão em isolamento domiciliar por 14 dias.

Elas também continuarão monitoradas pela Vigilância em Saúde do município. O resultado dos exames deve sair entre dois e cinco dias.

SIMULADO.
Gestores da Secretaria de Saúde de Santos reúnem-se, desde o início da epidemia do Covid-19, com representantes da área nas esferas estadual e federal e promove capacitações dos profissionais de saúde para atendimento de casos suspeitos. No último dia 11, mais de 300 profissionais da rede municipal de saúde foram orientados pelo médico infectologista Marcos Caseiro e equipe da Seção de Vigilância Epidemiológica (Seviep). Os técnicos e gestores da secretaria também participaram, no dia 10, de capacitação no Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), do governo estadual, e, no dia 12, de simulado de atendimento no Porto de Santos, coordenado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Autoridade Portuária (SPA). No dia 17, o Programa Saúde na Escola promoveu capacitação sobre medidas preventivas contra a doença, como importância da lavagem das mãos e higiene dos ambientes, para 40 orientadores pedagógicos da rede municipal, agentes multiplicadores das informações para as escolas. E no último dia 19, a mesma atividade foi promovida para cerca de 100 diretores e representantes de outras escolas públicas e particulares.